Pe. William Meninger, OCSO – O Processo Do Perdão

O PROCESSO DO PERDÃO
Padre William Meninger, OCSO, monge trapista, americano, esteve entre nós recentemente, dando retiro sobre a oração centrante e palestras sobre o ‘Processo do Perdão’. Ensinou-nos nas palestras sobre o processo do perdão, entre outras coisas, que, se temos alguma coisa para perdoar, devemos fazê-lo e que sem dúvida, o maior beneficiado nesses casos é quem consegue perdoar. Que em casos de termos uma grande dificuldade em perdoar, e ele contou vários casos sobre isso, se pelos menos formos capazes de rezarmos por nós mesmos, já teremos dado um grande passo. Se fizermos isso diariamente, com o passar do tempo seremos capazes de perdoar. Perdoar não é esquecer. Não se pode esquecer uma ferida. Jesus se orgulha de suas chagas e não quer se esquecer delas, pois é sua prova de amor por nós. Releiam os textos da Ressurreição! Que nós também devemos nos orgulhar de nossas chagas, pois é nossa parte na Redenção. A pessoa que nos magoou, feriu, nem precisa saber que a perdoamos. Não precisamos nos relacionar com ela, como em casos em que a pessoa foi molestada sexualmente, ou de grandes traumas. Mesmo que a pessoa a quem devemos perdoar já tenha falecido, ainda assim podemos e devemos perdoar. Muitas curas acontecem em nossa saúde quando perdoamos de verdade. Ensinou o exercício abaixo, que deveríamos fazer sempre:
Oração ou Meditação da Compaixão
1. Traga à mente – o mais viva e realisticamente que puder – alguém (vivo ou morto) que ame você ou a quem você ame. Torne a captar e até intensifique o seu sentimento por essa pessoa. Diga-lhe o quanto a(o) ama, o quanto deseja que ela seja feliz, o quanto você é grato(a) a ela, por tudo. Faça a Oração da Compaixão por ela (texto abaixo).
2. Escolha uma pessoa que lhe seja indiferente – estranha, ou até desconhecida. Peça permissão à primeira pessoa acima, mentalmente, para partilhar seu amor com essa segunda pessoa, que lhe é indiferente. A pessoa, viva ou morta, concordará porque se trata de uma coisa boa. E também porque cremos na ‘Comunhão dos Santos’, não é? Partilhe com essa pessoa o sentimento e a qualidade do amor que você tem pela pessoa amada, acima. Fale-lhe desse amor, envolva-a nesse amor, etc. Em seguida, faça a Oração da Compaixão por ela.
3. Escolha um “inimigo” (vivo ou morto). Peça permissão em pensamento às outras duas pessoas, de dividir seu amor com esse ‘inimigo’. Eles sempre irão concordar porque se trata de uma coisa boa, não é? Transfira ao “inimigo” o mesmo amor que você deu às duas pessoas anteriores. Fale-lhe do seu desejo de partilhar o amor, o perdão, etc. Faça a Oração da Compaixão por ela.
Texto da Oração ou Meditação da Compaixão:

(Acrescente o que desejar. Reze com intensidade e muita sinceridade.)
Que você seja feliz.
Que você seja livre.
Que você seja amoroso.
Que você seja amado.
Que o Senhor o(a) leve à mais completa perfeição a que seu amor o chama.
Que você seja bem-sucedido em todos os seus esforços.
Que você experimente a satisfação da paz no corpo e na alma.
Que você conheça o Senhor em toda a sua bondade.
Que você tenha perdoadas todas as transgressões.
Eu perdôo a você de todo o meu coração e alma.
Que você saiba o que significa ser filho de Deus.
Que você experimente a glória de possuir o Reino de Deus.
Que você viva e caminhe em paz e amizade com todas as criaturas de Deus.
Que todas as bênçãos sejam suas.
Que a bondade e o amor mostrem-se em todas as coisas que você fizer e em tudo o que for feito a você.
Que você seja um, com toda a criação de Deus.
Que você experimente as bênçãos da graça de Deus por toda a eternidade!”

Mesmo que voce nao consiga perdoar na primeira vez, vá repetindo o exercício outras vezes, até conseguir perdoar. Que possamos rezar o Pai Nosso, como Ele nos pede: “Pai, perdoai as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos têm ofendido!”

O primeiro livro do padre William Meninger traduzido para o português, ‘O Processo do Perdão’, que trata desse tema em mais profundidade, acaba de ser lançado pela editora Santuário, e se encontra à venda nas Paulinas/Paulus, etc.
http://www.oracaocentrante.org/perdao.htm

Provérbios Do Evangelho

PROVÉRBIOS DO EVANGELHO!
Neste texto quando eu aludir a Consciente, referir-me-ei ao homem sensato; e quando falar do Tolo…, estarei falando do Insensato ou do Simples em sua ingenuidade patológica ou deliberada em razão de processos de auto-engano.
„©
1. O Consciente ouve toda verdadeira repreensão com temor grato, mas o Tolo sente-se ofendido por cada verdade que poderia ajudá-lo.
2. O Consciente sente todas as dores deste mundo e com elas lava-se em doçuras, mas o Tolo extrai da dor apenas a amargura.
3. O Consciente foge de toda luta que não seja pela vida, mas o Tolo faz de toda discordância uma questão de salvação do mundo.
4. O Consciente sente para si e medita com paciência cada coisa, mas o Tolo levanta-se e age conforme o primeiro impulso.
5. O Consciente ama a todos, mas o Tolo fica amigo de qualquer um que o trate bem naquela hora.
6. O Consciente sabe que amizade é um trabalho de tecimento e tecelagem, mas o Tolo acha que uma boa bebedeira faz amigos.
7. O Consciente vive e deixa viver, embora não negocie seus princípios jamais; mas o Tolo sente a obrigação de se impor sobre todos os diferentes.
8. O Consciente faz o bem e se esquece, mas o Tolo o conta como currículo.
9. O Consciente vive muito e fala pouco acerca de tudo o que já viu, mas para o Tolo toda primeira descoberta o torna o senhor de todos os saberes.
10. O Consciente ama a todos, até aqueles de quem não goste; mas o Tolo ama apenas os que lhe agradam com consentimentos, e desgosta-se de todos os que não sejam como ele.
11. O Consciente vê em cada outro humano um altar, mas o Tolo somente vê altares em lugares onde tijolos e pedras tenham sido erguidos.
12. O Consciente sente a espera da Volta do Filho do homem todos os dias, mas o Tolo crê que poderá prever alguma coisa.
13. O Consciente vê o mal e dele foge; mas o Tolo acha que é domador de demônios.
14. O Consciente sabe que a cada semente corresponde seu próprio fruto, mas o Tolo crê que pode semear uma natureza e colher outra.
15. O Consciente leva em consideração cada acusação que recebe e nelas medita, pois crê que delas possa tirar algum proveito, ainda que em silêncio; mas o Tolo perde a chance de se enxergar até nos exageros dos que o acusem.
16. O Consciente sabe que sua melhor certeza ainda é parcial, mas o Tolo julga ter atingido o discernimento pleno.
17. O Consciente pode esperar o tempo certo, mas o Tolo nunca perde uma oportunidade de ventar os seus impulsos e precipitações.
18. O Consciente sabe que somente o trabalho contínuo e perseverante estabelece a credibilidade, mas o Tolo quer se tornar sábio e respeitado da noite para o dia.
19. O Consciente é tentado e não se julga forte para dialogar com a tentação, mas o Tolo a leva para casa e lhe serve chá, julgando que poderá educá-la.
20. O Consciente sabe que seu pior diabo é a sua cobiça, mas o Tolo atribui ao Diabo externo todas as culpas.
21. O Consciente pode morrer sozinho, mas se saberá acompanhado e dignificado pela presença de anjos, mas o Tolo quer ter um cerimonial até para morrer.
22. O Consciente se satisfaz com a serenidade de seu ser, mas o Tolo somente é feliz se não houver nele nenhuma serenidade.
23. O Consciente não se obriga pelos caprichos de nenhuma maioria, mas o Tolo somente anda conforme os ditames majoritários.
24. O Consciente mede e discerne o peso de sua importância na vida, mas sabe que ela sempre será relativa; porém o Tolo julga que sem ele tudo o que foi feito não permanecerá.
25. O Consciente confia no vento e no seu poder incontrolável de espalhar sementes, mas o Tolo acha que se ele não industrializar o plantio…, sua existência não será produtiva.
26. O Consciente vive pela fé; o Tolo, porém, vive do que ele ache que possa controlar ou manipular.
27. O Consciente nunca não vai com a cara de alguém apenas por não ir, mas o Tolo desgosta de tudo e todos que lhe pareçam concorrência.
28. O Consciente sabe que deve amar a todos, embora tenha o privilégio de gostar de muitos; mas para o Tolo amor só se deve ter por quem se gosta pela concordância.
29. O Consciente sabe que toda vingança aumenta o mal muitas vezes mais, e, por isto, nunca recorre a ela; mas o Tolo prefere acabar o mundo a não vazar seu ódio como vingança.
30. O Consciente somente gosta de ganhar em parceria, mas o Tolo quer sempre ganhar sozinho.
31. O Consciente vive para fazer fácil a vida, mas o Tolo ama as complexidades.
32. O caminho do Consciente fica dia a dia mais simples, mas o caminho do Tolo vai se tornando um labirinto.
33. O Consciente cresce em todas as tribulações, mas o Tolo lamuria e cresce em desconfiança em cada uma delas.
34. O Consciente transforma traumas em lições, mas o Tolo os alimenta como álibis.
35. O Consciente não despreza nada e a tudo pondera, mas o Tolo elege as suas fontes.
36. O Consciente não vê em ninguém um competidor, mas apenas mais um auxilio; o Tolo, porém, vê em cada outro dom uma ameaça à sua vida e pregresso.
37. O Consciente foge da justiça dos homens, e busca conciliação pacifica; mas o Tolo ama os tribunais.
38. O Consciente aposta no trabalho, mas o Tolo aposta no jogo.
39. A Conquista do Consciente permanece, posto que seja de natureza espiritual, e, portanto, não passageira; mas o ganho miraculoso do Tolo desvanece-se antes do proveito.
40. O Consciente ama a simplicidade dos simples e a calma dos idosos, mas o Tolo apenas dá atenção ao que lhe possa auferir ganhos de alguma forma no instante.
41. O Consciente ama o mandamento da Vida, mas o Tolo acha tudo uma obrigação.
42. O Consciente busca renovar-se todos os dias, mas o Tolo busca adaptar-se todos os dias.
43. O Consciente crescerá em consciência…
44. O Tolo viciar-se-á em seus modos, e neles morrerá…; a menos que se converta à verdade que liberta a mente para aprender a sabedoria.

Nele, Jesus, de Quem aprendi que todas as coisas acima são Provérbios da Vida no Evangelho, deixo estes pequenos provérbios a fim de ajudar a simplificar o seu entendimento quanto ao fato de que a vida é conforme a semente,

Caio
2 de agosto de 2009
Lago Norte
Brasília
DF
Via Caio Fábio

Pensamentos #1

http://twitter.com/eduardoglaeser/statuses/3775120149585920

Uma Única Mente – Parte 15 de 20 – David Hoffmeister

UMA ÚNICA MENTE
Diálogos com David na Argentina – Parte 15

P: Como pode superar o ego que não nos permite viver livremente?
D: A coisa mais importante para superar o ego é: primeiro reconhecer que ele é uma crença. Ele foi feito ao se acreditar nele, e ele é dissipado retirando sua crença dele. O ego quer que você acredite que o inimigo está do lado de fora de você. Ele quer que você aponte do dedo e culpe os outros enquanto ele permanece escondido no fundo da sua mente. Quando você se sente transtornado, você sempre tem uma escolha do que fazer. Você pode culpar o corpo que parece ser você mesmo – e muitas vezes doenças físicas parecem resultar disso – ou você pode culpar outros corpos ao seu redor, e neste caso há muita gritaria e discussão. Ou você pode seguir a orientação do Espírito Santo e ver que isso é só o ego dentro de você mesmo que está vindo à superfície, apenas um trem de pensamento que está passando, e esta é a sua oportunidade para deixar pra lá. O ego não gosta de ser questionado. Ele quer que você considere simplesmente que é assim que as coisas são. O ego é como uma grande suposição de que você é vulnerável e pode ser atacado. À medida que você questiona esse sistema de crença, você aprende a viver dos pensamentos de Deus. Você tem intimidade ao escutar o Espírito Santo em vez de procurar por intimidade em corpos que se unem. Ou aprende a contar com a providencia divina em vez das leis da economia. Você recebe a liberdade da mente através de milagres não através dinheiro e mobilidade do corpo. Você recebe sua paz da mente de Jesus em vez de procurar por ambientes tranqüilos. Nos milagres você é feliz sem nenhuma razão mundana. Você não está feliz por causa dos resultados e circunstâncias – ganhando uma promoção ou recebendo um elogio. Há uma força interior que vem ao seguir o seu coração, e você traz esta luz com você onde quer que você pareça ir. Então, é inteiramente um trabalho interior, e à medida que a sua mente muda, assim muda o mundo que você vê.

Fora da escuridão, para dentro da luz, lá eu irei.
Fora da dor, escolhendo o Cristo, lembrando que sou íntegro.
Cantando uma canção de doce gratidão, eliminando as dúvidas, irrestrito e livre.
(da Música de Cristo “Shower Song”)

P: Eu gostaria de falar sobre o relacionamento santo. Uma pessoa às vezes tenta ter um bom relacionamento na esperança de que virá a ser um relacionamento santo. Essa é uma armadilha do ego?
D: Quando você entrega o seu relacionamento ao Espírito Santo, ele pode parecer ficar muito pior antes de melhorar. (Gargalhadas)

P: Sim, sim, sim!
D: A razão para isso é que o propósito do Espírito Santo é muito diferente do propósito para o qual o relacionamento foi iniciado. O antigo propósito era destinado a trazer um senso de completeza através da união de corpos. Esta é a definição do ego de um relacionamento: corpos vivendo juntos sob o mesmo teto. O ego quer os corpos juntos, mas as mentes separadas. O ego baseia relacionamentos em interesses comuns no mundo e ensina que quanto mais interesses em comum, melhor será o relacionamento – aquilo que o mundo chama de uma boa combinação. E embora esses relacionamentos pareçam bons no início, a raiva inconsciente e a ira logo virão para a superfície. Cada pessoa quer que o outro mude e se torne mais parecida com ela mesma. E você pode ver que você tem uma barganha em suas mãos, como se uma transigência deva ser alcançada. Neste mundo transigência parece uma coisa boa, mas Jesus ensina em Um Curso Em Milagres que “A salvação não é transigência de nenhum tipo.”

Eu não farei transigências. Eu não sacrificarei.
Eu não acreditarei nas mentiras do pecado e da falta.
Eu não morderei a isca do julgamento, dúvida e ódio.
Eu não ficarei enfurecido com o destino, atacado pelo medo.
Mas eu irei brilhar minha luz, deixar o Espírito curar a minha vista
Para contemplar o Cristo em todos.
E o amor eu estenderei, pensamentos de perdão enviarei
E deixarei que a minha tristeza acabe, a culpa seja desfeita.
(da Música de Cristo “Love’s Manifesto”)

O propósito do Espírito Santo vê o que é mais proveitoso para todos. Ninguém perde e ninguém ganha. No propósito do ego sempre há vencedores e perdedores. O ego só conhece o ganho e a perda. Para o ego há só uma quantidade limitada de amor para circular, então o amor parece muito especial e somente para ser dado a certas pessoas. Há uma seção no Curso sobre o relacionamento curado. Ele diz que, depois que o Espírito Santo é convidado para entrar no relacionamento, ambas as pessoas geralmente ficam apavoradas porque o novo propósito é tão diferente do antigo. O novo propósito pede que nada seja mantido oculto um do outro, que é um reflexo da idéia de que nada pode ser mantido oculto do Espírito Santo. O Espírito Santo não pode pegar nada da sua mente a menos que ela seja voluntariamente entregue. Então, abrir-se para o relacionamento santo requerer muita disposição, porque realmente parecerá balançar o barco. Eu tenho certeza que você notou isso com o seu parceiro e familiares.

P: Sim, sim, sim! (Gargalhadas)
D: É Jesus te chamando para fora do mundo, e o ego ou o mundo parece reagir e dizer, “Onde exatamente você pensa que está indo?” Mas quanto mais você ganha confiança em escutar o Espírito Santo, você vê que ninguém está sendo deixado para trás e você simplesmente está abrindo a sua mente para incluir todos e não rejeitar ninguém. Isso é bonito!

Meu irmão, cante comigo a canção da redenção.
E a nossa voz unida trará o alvorecer:
O alvorecer da paz e santidade, relacionamento da gentileza.
Os sonhos separados, o perdão cura.
O mundo real é revelado pelo amor.
(da Música de Cristo “We Can’t Go Home Alone”)

P: Quando você estabelece um relacionamento santo com alguém que não estuda o Curso, deve-se conversar e compartilhar o próprio processo interior do trabalho com o Curso ou apenas tentar demonstrar isso através das mudanças que estão acontecendo no interior?
D: É sempre útil compartilhar o que está passando com você, mas você deve deixar Jesus te conduzir em relação a onde fazer esse compartilhar. Você está entrando em contato com o ser um trabalhador de milagres, mas você deve entregar o controle de onde você acha que os milagres devem ser concedidos. Jesus disse na Bíblia que aqueles que aqueles que “têm ouvidos” ouvirão. Você irá achar muito frustrante se você tentar compartilhar essas experiências internas com aqueles que não estão prontos para ouvi-las. À medida que você se abre para ser um trabalhador em milagres, o ES o guiará até outros e guiará outros até você. Essas serão oportunidades para compartilhar seu novo propósito. Você não pode nem presumir que você deve compartilhar este propósito com o seu parceiro. Este é o significado do ensinamento na Bíblia, de que o pai se voltará contra o filho e a mãe contra a filha, por amor ao Meu Nome. A energia do Cristo é como uma vibração. À medida que esta vibração vem a ser cada vez mais forte, e à medida que você está disposto a abrir a sua mente, muitas testemunhas novas virão à sua mente. Conforme eu segui a direção do Espírito Santo, eu tenho viajado muitas, muitas milhas nos últimos doze anos e encontrado milhares dos meus irmãos e irmãs que estão famintos para despertar. É como se o Propósito tivesse orquestrado a minha vida para eu vivenciar a alegria no meu coração. Todos nós começamos com as famílias biológicas e os parceiros, mas na medida em que o amor em nosso coração fica cada vez mais forte, nosso círculo da família e amigos fica maior. Nós encontramos essas pessoas com base no desejo de dar. Não estamos procurando conseguir alguma coisa delas. A benção vem do compartilhar alegria, não do receber algo material. É como se nós espalhássemos muitas sementes, não olhando onde elas caem ou se elas parecem germinar e florescer. A alegria está em apenas lançar as sementes!

Fluindo, fluindo na luz.
À deriva em suas marés gentis.
Que preciosos são aqueles que compartilham a alegria,
Lembrando da verdade de que somos íntegros.
(da Música de Cristo “Texas Song”)

 

http://www.global-miracles.net/

Uma Única Mente – Parte 14 de 20 – David Hoffmeister

UMA ÚNICA MENTE
Diálogos com David na Argentina – Parte 14

P: Que religião você professa?
D: Minha experiência de religião é a experiência da paz interior. Isto é diferente da concepção do mundo sobre a religião, que parece envolver teologia e doutrinas, história e rituais. Religião é facilmente descrita como viver no presente momento, livre das feridas e mágoas passadas, livre das preocupações e interesses do futuro. Eu aceito convites para ir a muitos grupos. Durante o ano passado eu discursei num centro Católico, um centro Budista, grupos do Curso, grupos do Poder do Agora, grupos de Conversas Com Deus, etc. Então, eu não me adiro (aderir-se) a uma religião como o mundo vê a religião.

P: Estar alerta ou atento – Com o que se deve estar alerta para evitar adormecer?
D: Você está falando daquilo que eu chamo de “atenção”. É preciso uma grande disponibilidade para estar atento ao Espírito Santo, porque a mente que dorme tem o hábito da mente dispersa. Esta é a tagarelice do ego. Uma metáfora útil pode ser dos trens. Os trens do ego estão constantemente passando pela mente e a atenção e a meditação envolve treinar a sua mente para saltar dos trens. Cada vez que você nota que você subiu de novo, você salta de novo. Você treina a sua mente a ficar ciente do silêncio que está além dos trens. À medida que você questiona o sistema de crença do ego, você está chegando nos pinos de sustentação do trem. Assim você pode dissolver o trem antes que ele saia da estação!

P: O que é isso que envia os pensamentos para a minha mente?
D: Todos os pensamentos surgem de uma das duas fontes: o ego ou o Espírito Santo. Impulsos milagrosos vêm de Deus e chamam a mente para retornar ou despertar. Freqüentemente esses impulsos passam através das lentes do ego e entram na consciência como fortes desejos ou anseios. Eles não parecem fortes desejos para Deus. Eles parecem envolver condições físicas. Por exemplo, fome ou sede. Toda fome e sede são realmente de amor, embora na superfície da consciência possam parecer de comida ou água. Assim que você é capaz de limpar o espelho da mente, você é capaz de receber os impulsos milagrosos diretamente. Por exemplo, o Espírito Santo pode te orientar a telefonar para alguém ou visitar alguém ou fazer uma viagem ou escrever uma carta. Ao seguir esses impulsos, a mente se abre para a alegria porque o Espírito Santo está usando o corpo para expressar idéias de amor e esperança. Todos os pensamentos do ego envolvem falta ou controle e sempre envolvem dependência na forma. Quando você está ouvindo o Espírito Santo, o Espírito pode usar todos os símbolos do mundo, mas não tem nenhum investimento neles. Por exemplo, o dinheiro: ele pode vir para você, e se é do Espírito Santo, há um propósito para ele, mas não há nenhuma cobrança ou culpa ao redor dele. Ele será usado para o propósito da alegria. Ele vem facilmente e vai tão facilmente quanto veio, sem nenhum interesse ou preocupação. É a mesma coisa com os outros símbolos também. À medida que você trabalha mais profundamente com Um Curso Em Milagres, você ganhará grande discernimento dos pensamentos do ego versus pensamentos que vem do Espírito Santo. Pensamentos do Espírito Santo são sempre gentis. Eles fazem a mente lembrar o quanto ela é amada.

Santo Cristo, santa criança chama a Voz na sua mente.
Alma brilhante, pura e íntegra, chame as vozes de casa:
Desperte agora do seu sonho. Saiba o quanto você é amado.
Santo Cristo, santa criança, somos um.
(da Música de Cristo “Do You Dare?”)

Só o ego comanda e exige e ameaça. O ego é sempre a voz do medo. Então, se você está sentindo medo, é bom parar e orar, e não agir baseado no medo. As pessoas me perguntam se o medo serve para algum propósito útil. O medo é sempre do ego e, portanto, não serve a nenhum propósito útil.

P: Quando o corpo morre, a pessoa passa para um plano superior?
D: A morte não te leva para um plano superior, nem te leva para o reino do céu. Praticar milagres de fato te leva a um plano superior da consciência. Conforme você aprende a abrir a sua mente para o completo perdão, todos os limites são removidos da consciência. Pode parecer como se a sua consciência estivesse sendo “elevada”, mas na verdade a consciência não tem níveis. Ou você perdoa ou você mantém uma mágoa. Com o perdão é tudo ou nada. Mesmo que você foi capaz de perdoar noventa e nove por cento, você ainda não estaria ciente da realidade. Um Curso Em Milagres é sobre aceitar a Expiação, a correção para a crença na separação. A Expiação é o completo perdão. É a disposição de contemplar a verdade porque é a verdade, e ver que a verdade não tem nenhuma exceção. O Amor e um oposto ao amor, ambos não podem existir. Deus é um estado da mente que é puro amor. Então, neste sentido não há nenhum erro possível em Deus. No céu não há nada a perdoar, mas para mente que acredita em ilusões, ela deve aprender a perdoar ou liberar essas ilusões.

Você não pecou. Não tenha medo de se voltar para dentro
E alegremente ir até Ele Quem te deu a vida.
Você não deixou o seu Criador. Não existe morte.
Invoque a verdade. Seja abençoado. Habite no amor de Deus.
(da Música de Cristo “The Call”)

P: Você diz que não há nada a perdoar, e isso parece uma idéia legal. Porém, há situações que ocorrem e eu as recordo em minha mente e sinto que realmente há algo a perdoar. Como eu as libero?
D: Em cada situação concebível, o Espírito Santo vê o quadro todo. O Espírito Santo não quebra as cenas em partes, aqueles que forma mal tratados e aqueles que agiram de maneiras prejudiciais. Essas lembranças que surgem estão vindo da crença que é possível ser ferido por alguma coisa que não seja a própria mente e os próprios pensamentos, alguma coisa fora de “você”. Não importa se o dano pareceu ser físico ou apenas um relance ou um olhar. Quando essas memórias vêm, é importante ver que são pensamentos, pensamentos de ataque. Não são nossos pensamentos reais. Quando você consegue vê-los como pensamentos de ataque, você tem o poder de entregá-los ao Espírito Santo. Quando não parecem pensamentos, e você acredita que existem pessoas que realmente fizeram essas coisas por escolha própria, o perdão seria impossível. Você não pode perdoar algo que parece estar fora da sua própria mente. Então, primeiro o Espírito Santo tem que te treinar que tudo é pensamento, que toda a doença é doença mental; que todas as mágoas são mágoas mentais. Você não pode liberar algo para o Espírito Santo até que você veja que é o seu próprio pensamento e a sua própria percepção. Esta é uma grande reviravolta, porque a mente está tão identificada com o corpo que parece que esse corpo comete muitos equívocos, e parece que outros corpos cometem muitos equívocos. Olhar através dos olhos do ego é realmente o único equívoco, e conforme você desiste de todos os pensamentos de ataque, você limpa as lentes através das quais você está olhando. Então, você é capaz de contemplar o mundo com o Espírito Santo.

Brilho através das formas sombrias eu vejo que elas me cegam o real.
Brilho através da nulidade do corpo, para que o Cristo possa ser revelado.
(da Música de Cristo “Shine Through Me”)

http://www.global-miracles.net/

3 – BEM-AVENTURADOS OS MANSOS, PORQUE ELES POSSUÍRÃO A TERRA

Por Huberto Rohden

Antigamente, desde os tempos de Newton, o Universo se parecia com uma espécie de monarquia solar ou estelar; o nosso sistema planetário era regido por Sua Magestade o monarca “Sol”, que dava ordens aos seus súditos planetários, mediante as forças de atração e repulsão, e estes obedeciam à autoridade solar. Era o regime da autoridade e da obediência.
Em nossos dias, porém, Einstein vê no Universo uma fascinante cosmocracia, cujo soberano não tem localização determinada, nem irradiação central, mas está onipresente e atua simultaneamente de dentro de cada átomo. O conceito de uma força central mecânica foi substituído pela visão da presença orgânica. A técnica da máquina solar cedeu à concepção de uma espécie de vida cósmica universal.
Esta visão do centro como onipresença faz lembrar as palavras de Santo Agostinho: “O centro de Deus está em toda parte”.
É este o segredo da alma da natureza, que atua através de uma força sem esforço, que na intuição de Salomão, abrange o cosmos de uma à outra extremidade e dispõe tudo com poder e suavidade: “A sabedoria de Deus brinca todos os dias sobre toda a redondeza da terra”.
Na natureza tudo acontece com poder e silêncio, com um silêncio poderoso; o sol nasce e se põe em profunda quietude; o sol move gigantescos sistemas planetários, mas penetra suavemente pela vidraça de uma janela sem a quebrar, acaricia as pétalas de uma flor sem as lesar e beija as faces de uma criança dormente sem a acordar. As estrelas e galáxias descrevem as suas órbitas com estupenda velocidade pelas vias inexploradas do cosmos, mas nunca deram sinal da sua presença pelo mais leve ruído. A Luz, a vida e o espírito, os maiores poderes do Universo, atuam com a suavidade de uma aparente ausência.
Como nos domínios da natureza, o verdadeiro poder do homem não consiste em atos de violência física, mas sim numa atitude de presença metafísica; não se trata de fazer algo, mas de ser alguém.
Quando o homem atinge o clímax do seu poder toda a antiga violência acaba em benevolência. A violência é sinal de fraqueza, a benevolência é indício de poder. O homem-ego confunde violência com poder, mas o homem-Eu evita toda violência quando entra na zona do poder; para ele, ahimsa (não violência) é inseparável da satyagraha (apego à verdade).
Somente o homem-ego, na zona da evolução mental, embora tenha superado o natural, não entrou ainda no mundo espiritual; por isto julga necessário usar violência para manifestar poder.
Entre o natural e o espiritual vigora uma secreta afinidade, ao passo que o mental está em luta entre esses dois mundos.
A proclamação de que os mansos são os realmente felizes e possuirão a terra, é uma visão profética, uma antecipação apocalíptica de uma futura humanidade, que estabelecerá o Reino de Deus sobre a face da terra pelo misterioso poder da benevolência, e não pela ominosa fraqueza da violência.
E quando aparece um homem que revela o seu poder pela mansidão, pode ele ser considerado como um espécime e uma antecipação dessa humanidade do futuro.
O profano comum entende que o homem espiritual é uma espécie de “galinha-morta”, que não deve insistir nos seus direitos, que deve tolerar com apatia e indiferença todos os abusos e não reprimir com energia nenhuma indisciplina; não compreende que a expulsão dos vendilhões do templo seja compatível com a alta espiritualidade do Nazareno. O homem profano identifica mansidão com fraqueza e indiferença, rigor e energia com ausência de espiritualidade; não
compreende que o homem espiritual possa defender com entusiasmo uma causa sagrada, sem ser impelido por nenhum sentimento de egoísmo ou ofensa pessoal.
Os grandes Mestres, porém, sabem ser severos e rigorosos sem renegarem a mais perfeita mansuetude e benegnidade; são, por vezes, tão carinhosamente cruéis que nenhum profano cruelmente cruel é capaz de os compreender.
Violenta non durant, diziam os antigos romanos, as coisas violentas não duram.
O ego tenta apoderar-se e possuir as coisas da terra pela violência – e por isto nunca as possui realmente. É que as coisas do mundo de Deus têm um misterioso instinto, como que um sagrado pudor de não quererem ser violentadas e estupradas. As filhas da natureza são tão delicadas e virginais que não querem ser possuídas à força. Quem delas se apodera não as possui, embora as tenha encarceradas, encaixotadas e engarrafadas; ainda que as registre e carimbe como sua propriedade, com todos os seguros da burocracia social.
As coisas do mundo de Deus só podem ser realmente possuídas assim como o Deus do mundo as possui: com suavidade e ternura; assim como a luz possui as flores, como o amor possui o amado, como a alma possui o corpo, como a vida possui o organismo.
Quando algo ou alguém não quer ser possuído, nada e ninguém o pode possuir, embora o segure entre os dedos crispados ou guarde num cofre forte, por detrás de sete chaves.
Possuível e possuído é somente aquilo ou aquele que deseja ser possuído. Do contrário, podem ser os dois uns possessos – mas não há possuído nem possuidor. Onde não há espontaneidade bilateral não há verdadeira posse nem possuimento.
Como dissemos, a posse é muito mais uma atitude metafísica do que um ato físico. Possuir é algo do mundo da luz, da vida, do amor, do espírito – e não da matéria.
E é precisamente por esta razão que os possuidores da terra são os não-violentos, os mansos, os gênios das auras imponderáveis, e não da matéria ponderável. Os violentos, sobretudo os da violência mental e emocional, nunca possuirão nada, embora o tenham preto sobre branco, registrado e carimbado no cartório.
Julgam possuir as coisas da terra, mas são apenas por elas possuídos e possessos.
O que é violentamente possuído está envenenado por fluidos maléficos e será sempre um malefício para o seu possuidor.
O que Deus uniu homem algum o pode desunir – mas Deus é amor.
O que não é unido pelo amor não é realmente unido.
Quem não possui pela alma não possui.
O Universo e todas as suas riquezas são daqueles que deles não se apoderaram e em voluntária renúncia abriram mão de tudo e não possuem nada.
O desapego é o único meio de possuir.
A total libertação é a única posse real.
A verdadeira posse não é um ato físico, mas sim uma atitude metafísica do homem.
As palavras do Nazareno sobre a posse da terra pelo não-possuimento, pela mansidão, só tinham sentido depois da experiência mística duma “noite toda em oração com Deus”. Semelhante paradoxo não era possível num ambiente de profanidade ou mera intelectualidade. Aliás, os grandes paradoxos da verdade brotam sempre do mundo invisível do espírito, e nunca do mundo visível da matéria nem do intelecto.
Quando a natureza percebe que o homem não lhe corre no encalço para se apoderar dela, ela mesma vai no encalço do homem para lhe oferecer espontaneamente seus tesouros.
Quando a natureza percebe que o homem a cobiça, afasta-se dele, porque o secreto heliotropismo de todas as coisas de Deus desconfia do homem que a adora ou explora. A natureza não quer ser idolatrada nem brutalizada pelo homem. Não quer ser ídolo nem escrava, mas amiga do homem. Não quer ser obrigada a servir, quer servir espontaneamente ao homem, assim como serve a Deus em exultante liberdade.
Quem algo espera do mundo, deste nada pode o mundo esperar – mas quem nada espera do mundo, deste pode o mundo esperar tudo.
A violência consiste invariavelmente em atos do ego – a mansidão é sempre uma atitude do Eu.
Não necessita de compulsão quem possui compreensão.
Não necessita de forçar quem sabe amar.
Barulhenta é toda violência, silenciosa é a mansidão.
Não necessita de apelar para a força material quem tem em si o poder espiritual.
Suave e silencioso é tudo que é grande, violento e ruidoso é tudo que é pequeno.
Se os homens de Deus não fossem mansos, não agiriam como Deus age.
A mansuetude pode parecer fraqueza aos olhos dos violentos, mas ela se sabe mais forte do que toda a violência dos pseudo-fortes.
Quem é forte não tem necessidade de ostentar violência – somente os fracos têm mania de serem violentos.
A violência é como a alopatia, que remedeia os sintomas imediatos do mal, mas não cura a causa profunda dele; a mansidão atua como a homeopatia, é de ação lenta e profunda, embora não se lhe perceba efeito imediato.
A violência calcula tudo a curto prazo, ao passo que a mansidão visa tudo a longo prazo.
O míope tem de ser violento porque lhe falta a longe-vidência; atua no tempo e no espaço, e não no eterno e no infinito.
O homem manso pode parecer um derrotado – mas a sua aparente derrota é sempre uma vitória verdadeira; na sua retaguarda marcha sempre a vanguarda; em todas as suas fraquezas é ele sempre um herói.

http://asabedoriadejesusdenazare.blogspot.com/

18 Lições Semanais – CCA – Gerald Jampolsky – 8/18

8. “Eu estou determinado a ver as coisas de modo diferente”.
Aplicação: Existe um outro modo de olhar o mundo e hoje estou determinado a encontrá-los. Já que minhas percepções do mundo são determinadas pelos meus próprios pensamentos e pelo meu próprio sistema de crenças, e já que um reflete o outro, posso escolher os pensamentos que coloco na minha mente; através do perdão e da libertação dos pensamentos e relacionamentos não-curados, verei o mundo de um modo diferente. Ao escolher a paz de espírito como o meu único objetivo e o perdão como a minha função primordial, minha paz e meu perdão irão se refletir no mundo que eu vejo.

Metáforas para o amor divino.

Metáforas para o amor divino.
Ricardo Gondim.

A Bíblia hebraica narra o amor de Deus por Israel com três principais metáforas: paternidade, maternidade e esponsalidade.
Estas três imagens ressaltam a maneira como Jeová decidiu relacionar-se com os seus. O Deus de Abraão, Isaque e Jacó, o Deus de Moisés, livremente decidiu criar seres capazes de amar e se perceberem amados.
A paternidade divina se expressa na maneira como Deus cuida, repreende e se interessa pela maturidade de seu povo, que precisa tornar-se construtor responsável da história.

Também, no deserto vocês viram como o Senhor, o seu Deus, os carregou, como um pai carrega seu filho, por todo caminho que percorreram até chegarem a este lugar. Apesar disso, vocês não confiaram no Senhor, o seu Deus, que foi à frente de vocês… Deuteronômio 1.30-31.

A maternidade divina se expressa nos sentimentos mais viscerais de Jeová pelo seu povo. Jeremias 31.20 narra Deus sentindo suas vísceras fremindo por Efraim.
E o Salmista se percebeu numa relação maternal quando afirmou que era “como uma criança desmamada nos braços de sua mãe” – Salmos 131.2.
A esponsalidade revela o amor de Deus como numa aliança conjugal –

Traíram o Senhor, geraram filhos ilegítimos (Oséias 5.7)
Vi uma coisa terrível na terra de Israel. Ali Efraim se prostitui… (Os 6.10).
Como posso desistir de você, Efraim? (Os 11.8)

Jeová se compara a um marido traído que se mantém fiel, mesmo quando a mulher o machuca.
Abraham Heschel diferenciou o Deus de Israel ao Deus da filosofia afirmando:

O Deus dos filósofos é como a ananke grega, desconhecido e indiferente para o homem; pensa, mas não tem palavras; é consciente de si mesmo, mas esquece o mundo. O Deus de Israel, pelo contrário, é um Deus que ama; é um Deus conhecido pelo homem e que se ocupa do homem. Ele não só governa o mundo com a majestade de seu poder e de sua sabedoria, mas reage intimamente aos eventos da história. Ele não julga as ações dos homens com impassibilidade e distância; seu julgamento está impregnado pela atitude daquele ao qual essas ações lhe interessam intima e profundamente. Deus não se mantém fora do raio do sofrimento e da dor humanos. Ele é pessoalmente envolvido, até mesmo influenciado pela conduta e destino do homem.

Portanto, a Bíblia hebraica não considera que Soberania como um conceito que descreve Deus agindo e dispondo o mundo de acordo com seus próprios critérios.
Soberania na Bíblia, tem mais a ver com a fidelidade divina de não desistir de amar e continuar interpelando seus filhos rebeldes para que se voltem para si. Mesmo quando Israel lhe deu as costas, Deus, teimosamente, insistiu em continuar amando.
Essa soberania lhe custa muito caro. Isaías chegou a afirmar que Deus experimenta dores agudas, como de parto, esperando um novo futuro para seu povo:

Fiquei muito tempo em silêncio, e me contive, calado. Mas agora, como mulher em trabalho de parto, eu grito, gemo e respiro ofegante. Isaías 42.14.

Portanto, a Bíblia não declara que Deus é amor como um chavão religioso. Nesta frase há desdobramentos profundos que precisam ser refletidos até às últimas conseqüências.

Soli Deo Gloria.

RicardoGondim.com.br

As 3 Parábolas De Misericórdia (Lucas 15)

INTRODUÇÃO
Todos os publicanos e “pecadores” estavam se reunindo para ouvi-lo. Mas os fariseus e os mestres da lei o criticavam: “Este homem recebe pecadores e come com eles”.

PARÁBOLA DA OVELHA PERDIDA
Então Jesus lhes contou esta parábola: “Qual de vocês que, possuindo cem ovelhas, e perdendo uma, não deixa as noventa e nove no campo e vai atrás da ovelha perdida, até encontrá-la? E quando a encontra, coloca-a alegremente sobre os ombros e vai para casa. Ao chegar, reúne seus amigos e vizinhos e diz: ‘Alegrem-se comigo, pois encontrei minha ovelha perdida’. Eu lhes digo que, da mesma forma, haverá mais alegria no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam arrepender-se”.

PARÁBOLA DA MOEDA PERDIDA
“Ou, qual é a mulher que, possuindo dez dracmas e, perdendo uma delas, não acende uma candeia, varre a casa e procura atentamente, até encontrá-la? E quando a encontra, reúne suas amigas e vizinhas e diz: ‘Alegrem-se comigo, pois encontrei minha moeda perdida’. Eu lhes digo que, da mesma forma, há alegria na presença dos anjos de Deus por um pecador que se arrepende”.

PARÁBOLA DO FILHO PRÓDIGO
Jesus continuou: “Um homem tinha dois filhos. O mais novo disse ao seu pai: ‘Pai, quero a minha parte da herança’. Assim, ele repartiu sua propriedade entre eles. “Não muito tempo depois, o filho mais novo reuniu tudo o que tinha, e foi para uma região distante; e lá desperdiçou os seus bens vivendo irresponsavelmente. Depois de ter gasto tudo, houve uma grande fome em toda aquela região, e ele começou a passar necessidade. Por isso foi empregar-se com um dos cidadãos daquela região, que o mandou para o seu campo a fim de cuidar de porcos. Ele desejava encher o estômago com as vagens de alfarrobeira que os porcos comiam, mas ninguém lhe dava nada. “Caindo em si, ele disse: ‘Quantos empregados de meu pai têm comida de sobra, e eu aqui, morrendo de fome! Eu me porei a caminho e voltarei para meu pai, e lhe direi: Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho; trata-me como um dos teus empregados’. A seguir, levantou-se e foi para seu pai. “Estando ainda longe, seu pai o viu e, cheio de compaixão, correu para seu filho, e o abraçou e beijou. “O filho lhe disse: ‘Pai, pequei contra o céu e contra ti. Não sou mais digno de ser chamado teu filho’. “Mas o pai disse aos seus servos: ‘Depressa! Tragam a melhor roupa e vistam nele. Coloquem um anel em seu dedo e calçados em seus pés. Tragam o novilho gordo e matem-no. Vamos fazer uma festa e comemorar. Pois este meu filho estava morto e voltou à vida; estava perdido e foi achado’. E começaram a festejar. “Enquanto isso, o filho mais velho estava no campo. Quando se aproximou da casa, ouviu a música e a dança. Então chamou um dos servos e perguntou-lhe o que estava acontecendo. Este lhe respondeu: ‘Seu irmão voltou, e seu pai matou o novilho gordo, porque o recebeu de volta são e salvo’. “O filho mais velho encheu-se de ira, e não quis entrar. Então seu pai saiu e insistiu com ele. Mas ele respondeu ao seu pai: ‘Olha! todos esses anos tenho trabalhado como um escravo ao teu serviço e nunca desobedeci às tuas ordens. Mas tu nunca me deste nem um cabrito para eu festejar com os meus amigos. Mas quando volta para casa esse seu filho, que esbanjou os teus bens com as prostitutas, matas o novilho gordo para ele! ’ “Disse o pai: ‘Meu filho, você está sempre comigo, e tudo o que tenho é seu. Mas nós tínhamos que comemorar e alegrar-nos, porque este seu irmão estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi achado’ “.

Uma Única Mente – Parte 13 de 20 – David Hoffmeister

UMA ÚNICA MENTE
Diálogos com David na Argentina – Parte 13

P: Quando você tem uma experiência que é perturbadora, como uma discussão ou algum conflito, é como um filme na minha mente. A outra pessoa vê esse mesmo “filme”?
D: Todos os julgamentos são parte de uma mente privada, pessoal. Parece que algumas dessas fitas (filmes) são compartilhadas, mas este não é o caso. É como se você estivesse olhando com viseiras (de cavalo) e inventando tudo que você está vendo. Poderia ser dito com exatidão que duas pessoas nunca estão vendo o mesmo mundo. Por exemplo, você pode ter dez testemunhas oculares de um “acidente” de automóvel, mais nenhuma delas concordará com os detalhes. Isto é profundo quando você pára para pensar sobre isso. É por isso que não há paz neste mundo, porque não há nenhum acordo universal sobre a percepção. Mesmo que você peça a um milhão de pessoas para te dizer qual é a cor do céu, você só precisaria de uma exceção para provar que a percepção não é universal. A maioria dirá que o céu é azul, mas vários que são daltônicos discordariam. A única maneira que pode haver paz e harmonia é ver o mundo através da perspectiva do Espírito Santo. Esta é a percepção que Jesus alcançou ao alinhar sua mente com o Espírito Santo.

Brilhe comigo. Alinhe-se comigo. Uma mente de luz nós temos.
Viva comigo. Perdoe comigo o que é irreal através de Cristo.
(da Música de Cristo “Elder Brother’s Song”)

Nesta perspectiva não há inimigos. Todos são vistos como igual e um. Esta perspectiva não faz distinções. Então, em resposta a sua questão original, quando você está olhando através das lentes do ego, você está vendo um mundo privado que é inteiramente subjetivo, colorido pelos julgamentos e não pode ser compartilhado com mais ninguém. Das lentes do ego, argumentos e conflitos são inevitáveis. É por isso que até nos melhores relacionamentos humanos, quando duas pessoas parecem muito amigas ou almas gêmeas, ainda haverá diferenças de opinião. Até que o ego seja completamente desfeito, o relacionamento é usado pelo Espírito Santo para lavar as crenças inconscientes para que elas possam ser liberadas ao Espírito Santo. As pessoas geralmente entram na amizade e no casamento para obter um senso mais forte de intimidade e conexão. Os relacionamentos podem parecer uma meta positiva. Por exemplo, a meta do casamento seria união, e o mesmo com a amizade. O que Um Curso Em Milagres ensina é que a única união verdadeira está no nível da mente de Cristo, onde o Criador e Cristo são um. Então, com isso podemos dizer que uma meta mais prática para uma amizade ou casamento é o desfazer do ego. Isto normalmente não está nos votos dos casamentos! Se você mantém o desfazer do ego como um contexto para todos os seus relacionamentos, isto irá te ajudar a trabalhar com Um Curso Em Milagres. Aqueles que trabalham com o Curso e esperam que todos os seus relacionamentos melhorem imediatamente freqüentemente ficam muito decepcionados. O Curso ajuda a tirar o disfarce, expondo expectativas e falsas crenças, muitos mecanismos do agradar-pessoas que são construídos no relacionamento. Então se usarmos os relacionamentos como um tópico, isto pode nos ajudar a aproximar de uma compreensão mais profunda do perdão.

Sonhador do sonho, eu te ouço pedir ajuda.
Alegremente eu dou a resposta do amor para mim mesmo.
Perdoando sonhos eu compartilho e a minha disponibilidade para ver
Que você não é um sonho. Em Cristo, como um, somos livres.
(da Música de Cristo “Dreamer Of The Dream”)

P: Você disse que pelo ponto de vista do Curso, a competição é indesejável. Minha pergunta é, o que devemos fazer neste plano em que vivemos, onde há competição em tudo – competição por um emprego ou promoção? Como podemos viver praticamente sem competição?
D: Jesus começou com instruções práticas há 2.000 anos atrás. Seus ensinamentos naquela época, também eram recebidos com muita resistência, como se fossem impraticáveis. Ele disse coisas como: “Não se preocupe com o que deveria vestir ou com o que deveria comer.” Em termos de vocação, ele simplesmente disse: Siga me. Não importava se eram cobradores de impostos ou pescadores. Não importava se eram solteiros ou casados. Ele apenas olhava em seus olhos e dizia duas palavras: Siga me. Para um jovem negociante rico, ele disse: Venda tudo que você tem, dê aos pobres, e siga me. Quando um homem protestou que seu pai tinha acabado de morrer, Jesus disse: Deixe os mortos sepultar os mortos. Não havia nem uma concessão para um período de luto, porque Jesus era o “caminho, a verdade e a vida”, e não tinha nada, somente boas novas para compartilhar, nada para sentir pesar. Em termos de vocação, Jesus disse: Olhe para os lírios dos campos. Não trabalham nem fiam. Os lírios certamente não lutavam ou competiam, e Jesus disso: Olhe como o nosso Pai celestial as vestiu. Quando você estuda Um Curso Em Milagres, você descobre que a mensagem de Jesus não mudou, não em 2.000 anos – e nunca mudará. Para mim mesmo, eu tive que reconhecer que a fim de servir completamente a Deus, a fim de servir a um único mestre, eu teria que aprender a confiar. Não existe nenhuma maneira que eu pudesse tentar viver em sua mensagem sem dar um salto de confiança. No Livro de Exercícios, Jesus diz que acreditamos que morreríamos de fome se não tivéssemos pilhas de tiras de papel verde e discos de metal. Ele diz que todas as coisas que acreditamos que serve de apoio e nos sustenta neste mundo são apenas crenças tolas feitas para tomarem o lugar da verdade. Ele me disse que a verdade me sustentaria em todas as circunstâncias, sem exceção. Ele repetiu seus ensinamentos de 2.000 anos atrás: Busque primeiro o reino do céu, para que todas as outras coisas, então, sejam dadas.

Você ousa a ser feliz? Você ousa a ser livre?
Você sairia da prisão se você tivesse a chave?
Você se elevaria do cativeiro e clamaria o seu verdadeiro trono?
Se você achasse um grande tesouro, você o chamaria de seu?
(da Música de Cristo “Do You Dare?”)

D: O Espírito Santo tem um grande senso de integridade. Quando pela primeira vez eu peguei Um Curso Em Milagres, eu disse a Jesus: Dinheiro não dá em árvores! Eu tinha dívidas e contas a pagar. Jesus me disse para começar a trabalhar com o Curso e Ele me daria instruções específicas, ele me arrumaria um emprego para que eu pudesse quitar minhas dívidas. Isso aconteceu imediatamente. Não só as contas foram pagas, mas um bom pedaço do meu orgulho foi derrubado do meu ombro, o orgulho de ser independente e sustentar a mim mesmo. Jesus começou a dissolver a ética do trabalho Protestante com a qual eu tinha sido criado e ajudou a me abrir para a providência divina. Você tem que ser muito humilde para aceitar o sustento de Deus. Esta foi a minha maior dificuldade nas minhas primeiras viagens: abandonar o orgulho, a crença de que eu, pessoalmente era responsável pela minha sobrevivência neste planeta. No início era difícil acreditar porque todo o meu treinamento me ensinou o oposto. Eu tinha vivido uma vida de competição, competindo nos esportes, competindo nas notas, competindo por empregos. Jesus disse: Não, o mensageiro é digno do seu sustento. Ele disse: Se você me permitir dizer as minhas palavras através de você e trazer esperança e encorajar seus irmãos e irmãs, eu cuidarei de todos os detalhes da sua vida. Por doze anos, Jesus tem mantido sua palavra. Tudo que pareço necessitar me é provido, sem nenhum esforço da minha parte.

A Paz requer deixar pra lá, deixar estar e deixar fluir.
No fluir, sempre em casa, você será uma criança da paz.
(da Música de Cristo “Child Of Peace”)

 

http://www.global-miracles.net/

Uma Única Mente – Parte 12 de 20 – David Hoffmeister

UMA ÚNICA MENTE
Diálogos com David na Argentina – Parte 12

P: Hoje enquanto estava fazendo minha lição me peguei ficando com raiva. Eu realmente senti vontade de parar e fugir. Então uma outra parte da minha mente disse não, eu deveria continuar. Parece haver duas partes da minha mente – uma que quer correr e outra que quer persistir.
D: Sim, você está descrevendo uma mente dividida. A parte que está em contato com o amor é a parte sã. Ela fica te chamando para o céu e para liberar a outra parte ao Espírito Santo. O Espírito Santo não pode entrar na sua mente e levar embora o medo ou o erro a menos que você entregue voluntariamente. O Curso é sobre trazer ilusões à verdade. É sobre trazer a escuridão da mente à luz do Espírito Santo. Não há nenhuma batalha ocorrendo entre Deus e o diabo. Deus é puro amor. Na verdade, Deus não tem oposto. Este cosmos é o resultado da crença em opostos. É muito difícil manter dois sistemas de pensamento na mente, um de amor e um de medo. Eles não têm ponto de encontro. A divisão é intolerável, e assim um cosmos de tempo e espaço foi feito como uma tela gigante para a projeção do ego. Assim foi feito um mundo de dualidade e opostos, passado e futuro, masculino e feminino, frio e quente, rápido e vagaroso, alto e baixo, grande e pequeno, e assim por diante. Foi feito para ver a divisão no mundo, em vez de ver na própria mente. Para culpar o mundo em vez de aceitar o perdão interior. Este é o sistema do ego para manter a ilusão em curso. Quando você fica com raiva, o ego diz “culpe esta pessoa ou culpe aquela coisa.” Mas ao projetar a culpa, você mantém a raiva! Quando você vê que a raiva vem do seus próprios pensamentos de ataque e mágoas, então você consegue liberar esses pensamentos.

Sombras residem na Terra das Sombras, você nunca pode compreender
Suas conversas sombrias e proezas sombrias, seus pensamentos mutantes e necessidades sombrias.
Elas falam sobre suas feridas, como são vítimas deste mundo.
Elas buscam por outros fantasmas para culpar, aqueles que causaram tanta dor.
(da Música de Cristo “Shadowland”)

Enquanto o erro é projetado, o ego está protegido em sua mente. Jesus sabe que você ficará com raiva muitas vezes. O Curso não advoga abafar ou reprimir sentimentos. À medida que você faz o Livro de Exercícios, os sentimentos de dor irão aflorar. Esta é a sua oportunidade para liberá-los. Jesus ensina: A raiva nunca é justificada. O Perdão é sempre justificado. Este é um outro modo de falar que o Amor não tem inimigos. Abençoe aqueles que te amaldiçoam. A raiva nunca é daquilo que parece ser, então vamos dar uma olhada em algumas metafísicas básicas subjacentes da raiva:
Quando a mente acreditou que ela caiu da graça e se separou de Deus, ela ficou com muito medo. A voz do ego, que é a voz do medo, disse para mente que ela era culpada e que tinha que fugir. Você poderia dizer que o Jardim do Éden falado na Bíblia descreve o mundo do tempo e espaço. O cosmos é como uma folha de figueira gigante com a qual a mente tentou se cobrir. Deus é puro amor e unicidade. Portanto, Deus não pode entrar na dualidade. A dualidade é o esconderijo. Para a mente que acreditou que tinha se separado de Deus, o ego disse: “Aqui é o seu novo lar. Fique contente com o corpo como seu novo lar. Nós faremos um novo tipo de amor, com corpos. Nós faremos um novo tipo de liberdade, com o movimento dos corpos. Nós faremos um novo tipo de felicidade com prazeres dos sentidos, para tomar o lugar do seu lar no céu.” Alguns sistemas de crença ensinam até a imortalidade do corpo, mas o corpo é temporário, assim como são todos os prazeres efêmeros do mundo. Eles vêm e vão, mas eles nunca satisfazem completamente. O ego quis que Deus abençoasse seu novo mundo e desse realidade à fantasia do tempo e espaço. O motivo da raiva é porque Deus não pode fazer isso! Deus é amor divino. Deus conhece o Cristo como amor divino. Este amor é abstrato, alegria total, comunicação constante, gratidão, infinito, perfeito. Deus não seria Deus se Ele concedesse o desejo do ego, então toda raiva é um acesso de raiva, querendo que o temporário seja verdadeiro e real. O perdão libera a ilusão do cosmos inteiro e lembra a realidade que Deus criou eterna.

Meu Espírito te enviou ajuda para perdoar,
Para ver que o que você sonhou é falso. Somente como o amor você vive.
(da Música de Cristo “Song of the Self”)

P: Eu perdi meu filho quando ele tinha oito anos de idade. Eu não pedi a Deus para me levar em vez dele, mas simplesmente deixei as coisas acontecerem. Então quando eu comecei a estudar o Curso, eu me questionei sobre o que eu teria feito se isso acontecesse hoje, quão diferentemente eu teria agido.
D: É um mecanismo comum do ego perguntar a nós mesmos como teríamos feito algo de um modo diferente. Isso aborda a premissa básica do “hipotético” – como se as coisas pudessem ser diferentes do que são. Conforme você começa a ver que a causa e o efeito estão juntos, você vê que tudo que pareceu acontecer foi parte de um roteiro pré-arranjado. Quando a mente pareceu se separar de Deus, ela projetou para fora um cosmos gigante, com muitos, muitos roteiros, muitos enredos, muitas estórias, e o Espírito Santo foi dado em um único instante simultâneo que resolveu todo o problema. Todos os roteiros e estórias do mundo são todos o passado. Isto é diferente da versão linear que o ego ensina, que está dividida em passado, presente e futuro, onde parece que alguns roteiros e estórias são o passado e alguns estão por vir. Então a mente que está vendo isso desta maneira ainda está tentando empurrar o passado para o presente, revivendo lembranças e estórias repetidas muitas vezes como se estivessem ainda acontecendo. Mas o Espírito Santo vê que todas foram resolvidas.

Como se não existisse nenhum tempo com momentos enfileirados.
O momento do poder é agora, aqui na minha mente santa.
O roteiro está no passado. Ilusões não podem durar.
As cenas gentis, sonhos perdoados, eu assisto com alegria e dou risadas.
Porque não existe nenhum mundo.
(da Música de Cristo “As If”)

Sempre há ansiedade e preocupação quando nós negamos que isso tudo é passado. Então você entra no campo do hipotético: E se eu pudesse ter… Talvez se eu não tivesse… e assim por diante, a mente fica rodando e rodando. Eu estava viajando na Flórida alguns anos atrás e havia uma mulher viajando comigo, e nós encontramos um homem numa igreja que era um filósofo em uma universidade local. Ele tinha me ouvido dar a palestra, e ele veio falar comigo e a minha amiga, “David, por favor, seja prático. Você quer dizer que se um homem se aproximasse da sua amiga e colocasse uma faca me seu pescoço, que você ficaria aí parado tão manso quanto Jesus, em total indefensividade, e apenas assistir o que quer que estivesse acontecendo?” E eu disse a ele, venha para a reunião desta noite e levante esta questão para todo o grupo, eu usarei isso para um ensinamento sobre o “hipotético”. O ego tem um monte de roteiros hipotéticos, uma imaginação cheia de medo, mas, uma vez que você começa a ver que tudo que parece acontecer no mundo é apenas um reflexo dos seus pensamentos, você descobre que quando você está sem medo, não há ameaça ou perigo que seja possível.

Descubra, descubra que ninguém é outro,
Mas parte do seu santo Ser.
Descubra, descubra que cada lindo irmão
Pode libertá-lo dos feitiços escuros do ego.
(da Música do Mundo “Awaken, Awaken”)

O ego acredita no hipotético. Seus agentes de seguro acreditam nos hipotéticos! (Gargalhadas) Seus médicos acreditam nos hipotéticos, então você encontra médicos dizendo aos seus pacientes quanto tempo eles têm para viver. Você encontra agentes de seguro dizendo quantas apólices você têm que ter para estar seguro, e você descobre que todo o mundo dos negócios é baseado no pensamento hipotético. O milagre não é hipotético. Ele te permite ver o falso como falso. É realmente simples assim. Quando você entra no milagre, é como se você estivesse assistindo uma peça tetral na qual você vê todos os atores representando seus papéis perfeitamente. É só o ego que divide a estória e diz que não gosta desta parte ou daquela parte. Ele decide quais serão as vítimas e quais serão os vitimizadores, mas Deus não tem nada a ver com um roteiro onde pode haver vítimas e vitimizadores. A Bíblia ensina que todas as coisas trabalham juntas para aqueles que amam o Senhor. Em Um Curso Em Milagres Jesus diz que todas as coisas trabalham juntas e não há exceções, exceto no julgamento do ego. Então todos os enredos hipotéticos são apenas imaginações cheias de medo. Nós nunca poderíamos ter feito qualquer coisa diferente do que pareceu acontecer. E com isso há paz.

P: E se um homem realmente ameaçasse a sua amiga com uma faca? (Muita discussão e risadas quando ficou evidente que o questionador não entendeu a resposta anterior de David sobre hipotéticos.)
D: Pode parecer difícil de entender porque a mente acredita que existem situações amedrontadoras. O milagre mostra que todas as situações são a mesma. Se o Espírito Santo está sempre presente, e Ele está, não pode haver nenhuma situação onde o perigo é real. Se você se identifica com o corpo, o perigo parecerá inevitável, porque corpos podem ser destruídos. É o Espírito que é invulnerável, e quando você se alinhar com o Espírito, não há nada que você possa perceber que será amedrontador. Quando você se alinhar com o Espírito Santo, você não vivenciará nem dor nem prazer. A alegria vem a ser a sua emoção, pois esta é a emoção do Espírito.

Você é um corpo ou espírito brilhante?
Você é um pecador ou o Cristo?
Se você realmente quer saber as respostas,
Então gentilmente olhe nos meus olhos.
(da Música de Cristo “Forgiveness”)

Se a espiritualidade não é prática, então é mera teologia. Um Curso Em Milagres aponta para a experiência da paz interior, a completa transformação da sua mente, e embora possa parecer difícil mudar o seu comportamento, é necessário muito mais esforço para mudar o seu modo de pensar. Seu comportamento seguirá automaticamente conforme você muda o seu modo de pensar. O sistema de pensamento para o qual o Curso direciona, que é o sistema de pensamento do Espírito Santo, é completamente diferente do modo de pensar deste mundo. E então, pode parecer que há muita resistência para trabalhar com o Curso. Mas se você persistir, eu prometo que as recompensas irão valer a pena! Não há nada mais precioso do que a paz da mente. É verdadeiramente a dádiva de Deus para nós. Nós fomos criados para ser naturalmente pacíficos e todo o stress deste mundo não é natural. Um Curso Em Milagres ensina que o nosso modo de pensar é causativo e nós não estamos à mercê das imagens do mundo. Então, nossa paz e nosso transtorno, ambos vêm do modo de pensar. É por isso que é tão importante estar atento e observar os seus pensamentos. A mente que está viciada neste mundo não foi treinada para prestar atenção aos pensamentos. Ela tem sido distraída por muitas aparências, como um corredor de espelhos no carnaval. E essas distrações tornaram-se tão naturais que parecem como meios naturais de vida humana. Então, agora nós vamos virar o jogo do ego e olhar para o modo do Espírito Santo de perceber o mundo.

Seja erguido, alto acima do chão.
Seja erguido onde a santidade olha para baixo
E te mostra que o campo de batalha dos fantasmas raivosos nunca foi real,
E te mostra que tudo está na sua mente.
O mundo é uma máscara que por trás você se esconde.
(da Música de Cristo “Be Lifted Up”)

 

http://www.global-miracles.net/