"A Casa Sobre A Rocha" (Mt5:24).

“O Amor é a Lei de Deus. Viveis para que aprendais a amar. Amais para que aprendais a viver. Nenhuma outra lição é exigida do homem.” (O Livro De Mirdad)

DHAMMAPADA (FRAGMENTO)

Posted by José Eduardo Glaeser em 12/03/2012

DHAMMAPADA (FRAGMENTO)

Buddha (Siddhartha Gautama)

129-130. Todos tremem à vara, todos temem a morte. Portanto, não mate nem leve outros a matar. Todos tremem à vara, todos temem a morte. Portanto, preserve a vida os outros, tão preciosa.
131-132. Quem castiga para prejudicar seres vivos que desejam facilidade, quando ele mesmo a estiver procurando, não a encontrará, depois da morte. Quem não prejudica seres vivos que desejam facilidade, quando a estiver procurando, a encontrará, depois da morte.
133-134. Não fale severamente com ninguém, ou as palavras serão lançadas contra você. A palavra colérica é dolorosa. Quem a pronuncia é golpeado em retorno. Se, como gongo quebrado, você não ressoa, atingiu o Nirvana. Não encontrará nenhum limite.
135. Como um pastor que com uma vara leva o gado para o campo, assim envelhecendo e morrendo, a vida conduz os seres vivos.
136. Ao fazer ações más, o bobo é inconsciente. O simplório é atormentado por suas próprias ações como queimado por um fogo.
137-140. Quem, com uma vara, molesta um homem inocente e desarmado, depressa entra em quaisquer destas dez coisas: dores severas, devastação, corpo quebrado, doença séria, distúrbio mental, aborrecimento com o governo, difamação violenta, perda dos parentes, dissolução da propriedade ou casa destruída por incêndio. Depois da separação do corpo, o sem discernimento reaparece no inferno.
141-142. Nem a nudez de cabelo, nem a lama, nem o jejum, nem dormir no chão nu, nem pó e sujeira, nem austeridades limpam o mortal que não saiu de suas dúvidas. Se, entretanto, bem vestido, a pessoa vive com a vida pura – acalmou, domesticou ou concentrou -, que a ninguém castiga, é um meditador, um brâhmane, um monge.
143. Quem no mundo é livre de qualquer censura, desperto para censurar como um corcel de puro sangue, e não merece nenhuma chicotada?
144. Como um corcel puro sangue golpeado pelo chicote, seja ardente e rápido. Por convicção, virtude, persistência, concentração, julgamento, consumando o conhecimento, a conduta, atento, você abandonará a dor.
145. Lavradores guiam a água. Flecheiros amoldam o cabo de seta. Carpinteiros amoldam a madeira. Os controlados praticam o bem.

VIA YOGA.PRO.BR

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: