O PERDÃO É O CAMINHO PARA A PAZ INTERIOR!

O PERDÃO É O CAMINHO PARA A PAZ INTERIOR.

PARA QUE SERVE O PERDÃO?

O perdão liberta-nos do passado.
O perdão permite dissolver as crenças que nos aprisionam .
O perdão oferece a possibilidade da paz interior.
Quando perdoamos e somos perdoados, as nossas vidas transformam-se. As doces promessas do perdão são mantidas. E começamos uma nova relação connosco e com o mundo.

O QUE É O PERDÃO?

Perdão é um acto de amor para consigo mesmo
Perdão é para si mesmo e não para o autor da afronta.
Perdão é recuperar nosso poder pessoal.
Perdão é assumir a responsabilidade pelo como nos sentimos.
Perdão é uma atitude que cura ou melhora a saúde física, emocional e mental.
Perdão é uma escolha.
Perdoar não significa que tenhamos que mudar o nosso comportamento em relação ao autor da ofensa .
Perdoar é uma atitude interna . ( Não obriga a voltar a relacionar-me com quem me ofendeu ou a quem ofendi)
Para perdoar não é preciso comunicar verbalmente ao autor da ofensa que está perdoado e muitas vezes as pessoas com quem estamos mais ofendidos ou zangados são aquelas que não podemos contactar .
Perdoar só precisa de uma mudança na percepção, outra maneira de ver as pessoas e as circunstâncias que nos causam dor e sofrimento.
Perdoar é uma decisão de ver além dos limites da nossa personalidade, de ver além dos medos, neuroses e erros.
Perdoar é um modo de encarar a vida que nos vai transformando aos poucos de vítimas indefesas em autores e criadores responsáveis da nossa realidade.
O que o Perdão não é:
Perdão não é fechar os olhos para a falta de amabilidade .
O perdão não significa indiferença ou inércia parante a violação de direitos pessoais ou sociais.
Perdão não precisa ser uma experiência religiosa ou sobrenatural.
Perdão não significa reconciliar-se com o autor da afronta.
Perdão não significa desistir de ter sentimentos.

O PERDÃO É ANTES UMA ATITUDE INTERNA QUE OPERA UMA MUDANÇA DE PERCEPÇÃO DO EU, DO OUTRO E DAS CIRCUNSTÃNCIAS.

EFEITOS DO PERDÃO

O perdão permite viver a vida sem mágoas. Livres do passado e sem recear o futuro.
Por isso alivia e previne o stress.
O Perdão cura sintomas físicos e doenças.
O perdão ancora a aceitação , permite viver o momento presente e a fluir e a confiar no processo da vida .
O perdão liberta-nos dos ressentimento e do sentimento de culpa e da Ira.
Abre-nos a porta para a expressão assertiva e adequada da nossa raiva
Pessoas que culpam outras pelos seus problemas ou dificuldades apresentam índices mais altos de doenças cardiovasculares e cancro.
Mesmo quem já sofreu perdas devastadoras pode e deve aprender a perdoar , tal atitude irá possibilitar-lhes aliviar e curar os sentimentos de perda e acelerar o normal fluir do bem e da prosperidade nas suas vidas

AUTO-PERDÃO O MAIOR DESAFIAO:

Perdoar a si mesmo é o maior desafio a vivênciar, é o processo de aprender a amar e a se aceitar a si mesmo .
Alèm de que só somos capazes de perdoar os outros quando aprendemos a perdoar a nós mesmos.
No auto-perdão, costuma haver uma grande resistência, pois ele requer uma mudança de atitude significativa, uma morte.

Que morte é essa? É um morrer para os velhos hábitos, morrer para a culpa, a vergonha e a auto-crítica, a auto comiseração, o ressentimento e o coitadinho de mim.
Quantas vezes condicionamos o auto-perdão a circunstâncias diferentes do momento?
O auto -perdão pressopõe uma tremenda honestidade para consigo mesmo na determinação de qual autocrítica, ou qual crença limitativa é preciso abandonar para podermos perdoar -nos?
O auto-perdão é um grande renascimento.
Permite-te.
Mais, Responsabiliza-te….
Constrói o teu caminhar de forma a sempre perdoar e ser perdoado.
O perdão é o caminho para a paz interior e para a tua autenticidade.
Que a paz interior banhe as margens do teu caminho.

Rosa maciel

Fonte: http://viveroagoramar.blogspot.com/2009/07/perdoar-para-que.html

VIA DESPERTANDO NA LUZ

DEUS OFERECE AGRADECIMENTOS A TI, QUE PRATICAS ASSIM O CUMPRIMENTO DO SEU VERBO. E, AO DAR A TUA MENTE ÀS IDÉIAS DO DIA MAIS UMA VEZ ANTES DE DORMIR, A SUA GRATIDÃO TE CERCA NA PAZ ONDE É A VONTADE DE DEUS QUE ESTEJAS PARA SEMPRE, A QUAL AGORA ESTÁS APRENDENDO A REIVINDICAR MAIS UMA VEZ COMO TUA HERANÇA.

Deus oferece agradecimentos a ti, que praticas assim o cumprimento do Seu Verbo. E, ao dar a tua mente às idéias do dia mais uma vez antes de dormir, a Sua gratidão te cerca na paz onde é a Vontade de Deus que estejas para sempre, a qual agora estás aprendendo a reivindicar mais uma vez como tua herança.

Que maneira mais bela de terminar essas introduções, em preparação para o período de revisão de dez dias, do que citar essa adorável passagem que nos lembra do Amor e gratidão de Deus, conforme abrimos nossas mentes e corações para recebermos Sua dádiva de Completeza, a dádiva do nosso Ser:
Deus oferece gratidão ao anfitrião santo que quer recebê-Lo e O deixa entrar e habitar onde Ele quer estar. E pelas tuas boas-vindas Ele também te dá boas-vindas em Si Mesmo, pois o que está contido em ti, que Lhe dás boas-vindas, é devolvido a Ele. E nós apenas celebramos a Sua Integridade quando damos boas-vindas a Ele em nós mesmos. Aqueles que recebem o Pai são um com Ele, sendo anfitriões para com Aquele Que os criou. E por permitir que Ele entre, a lembrança do Pai entra com Ele e com Ele aqueles que O recebem se lembram do único relacionamento que jamais tiveram e jamais querem ter (T-15.XI.9).

(Exercícios Comentados Kenneth Wapnick, Ph.D.)

JOSEPH MURPHY – O PERDÃO É NECESSÁRIO PARA A CURA

O PERDÃO É NECESSÁRIO PARA A CURA

E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai… (Marcos 11:25).
O perdão dos outros é essencial para a paz mental e saúde radiante. Você deve perdoar a todos os que o feriram, se deseja ter uma saúde perfeita e felicidade. Perdoe-se a si mesmo pondo seus pensamentos em harmonia com a lei e a ordem divinas. Você não pode, entretanto, perdoar-se a si mesmo realmente, enquanto não tiver perdoado os outros. Recusar a perdoar-se não passa de orgulho espiritual e ignorância. No campo psicossomático da medicina moderna é constantemente ressaltado o fato de que o ressentimento, a condenação dos outros, o remorso e a hostilidade estão por trás de uma multidão de doenças que vão da artrite às doenças cardíacas. Salientam os médicos que essas pessoas doentes, que foram magoadas, maltratadas, enganadas ou prejudicadas, estão cheias de ódio e ressentimento contra os que as feriram. Isso provoca feridas inflamadas e supuradas em seus subconscientes. Só há um remédio ela tem que eliminar e descartar-se dos seus ferimentos e o único caminho seguro para isso é o perdão.
(Joseph Murphy, em “O Poder Do Subconsciente”)

VIDA SIMPLES, PENSAMENTOS E AÇÕES ELEVADAS!

VIDA SIMPLES, PENSAMENTOS E AÇÕES ELEVADAS!


“Um devoto é feliz com uma vida simples. Quanto mais tentamos encontrar satisfação através da melhora do padrão de nossa opulência material, através de nossos desejos egoístas, mais nós simplesmente nos tornamos agitados, mais as nossas mentes tornam-se perturbadas. Não há paz na aquisição. Existe paz apenas no serviço. Não há nenhuma realização interior do coração na aquisição de mais e mais e mais. Paz para o coração só pode existir através da expressão de nosso amor inato por Deus e para com a humanidade e todos os seres vivos. Mas, ao esquecer esse princípio, podemos facilmente ser desviados.”
(Radhanath Swami)

POR FAVOR REENVIE NOSSAS MENSAGENS PARA SEUS AMIGOS, FAMILIARES, OUTROS GRUPOS DA INTERNET, ETC. Informe que a fonte é:
http://br.groups.yahoo.com/group/krishna-katha

MUDE SEU SISTEMA DE CRENÇAS

MUDE SEU SISTEMA DE CRENÇAS

“A culpa e o medo não só devastam a nossa vida emocional, como também o nosso corpo. Muitos de nós, pelo apego à culpa e ao medo, acabam fazendo inconscientemente coisas que agridem o nosso próprio corpo.
Por exemplo, eu era incrivelmente propenso a ser vítima de acidentes. Nunca pensei muito a respeito, exceto que eu parecia ter muito azar. Essa explicação encaixava-se perfeitamente na minha crença de ser uma vítima neste mundo.
Quando mudei meu sistema de crenças e comecei a buscar um outro modo de olhar o mundo, deixei de ser propenso a acidentes. Eu tomara a decisão de nunca mais ver a mim mesmo como uma vítima. Comecei a reconhecer, quase de imediato, que eu estivera desempenhando um papel ativo na criação dos meus vários ‘acidentes’. Eles não eram, de modo algum, produtos do meu azar como eu pensava antes.
Quando deixei de dar valor ao sentimento de culpa pelo meu comportamento e pelos pensamentos do passado, nunca mais senti nenhuma necessidade de autopunição. Acredito realment e que exista uma parte dentro de cada um de nós que, quando estamos sentindo culpa, nos diz: ‘Castigue a si mesmo ou procure uma pessoa que seja alvo da sua ira e a quem possa castigar’. Era assim que eu, no passado, costumava despender um tempo enorme punindo a mim mesmo pela culpa que sentia ou punindo os outros com o meu comportamento provocador e agressivo.
Quando nosso coração e nossa mente estão unidos através de pensamentos amorosos e nada mais, experimentamos a mais poderosa força de cura conhecida pela humanidade – o poder de cura do amor”.
(Gerald Jampolsky, em “Mude a sua mente e transforme a sua vida” – editora Cultrix)

VIA GRUPO MERA

DEUS SEGUNDO SPINOZA

DEUS SEGUNDO SPINOZA
(Deus falando com você)

As palavras abaixo são de Baruch Spinoza – nascido em 1632 em
Amsterdã, falecido em Haia em 21 de fevereiro de 1677, foi um dos
grandes racionalistas do século XVII dentro da chamada Filosofia
Moderna, juntamente com René Descartes e Gottfried Leibniz.
Era de família judaica portuguesa e é considerado o fundador do criticismo
bíblico moderno. Acredite, essas palavras foram ditas em pleno Século XVII.

DEUS SEGUNDO SPINOZA
(Deus falando com voc
ê)

“Para de ficar rezando e batendo o peito!
O que eu quero que faças é que saias pelo mundo e desfrutes de tua vida.
Eu quero que gozes, cantes, te divirtas e que desfrutes de tudo o que Eu fiz para ti.
Para de ir a esses templos lúgubres, obscuros e frios que tu mesmo construíste e que acreditas ser a minha casa.
Minha casa está nas montanhas, nos bosques, nos rios, nos lagos, nas praias.
Aí é onde Eu vivo e aí expresso meu amor por ti.
Para de me culpar da tua vida miserável: Eu nunca te disse que há algo mau em ti ou que eras um pecador, ou que tua sexualidade fosse algo mau.
O sexo é um presente que Eu te dei e com o qual podes expressar teu amor,
teu êxtase, tua alegria. Assim, não me culpes por tudo o que te fizeram crer.
Para de ficar lendo supostas escrituras sagradas que nada têm a ver comigo.
Se não podes me ler num amanhecer, numa paisagem, no olhar de teus amigos, nos olhos de teu filhinho… Não me encontrarás em nenhum livro!
Confia em mim e deixa de me pedir. Tu vais me dizer como fazer meu trabalho?
Para de ter tanto medo de mim. Eu não te julgo, nem te critico, nem me
irrito, nem te incomodo, nem te castigo. Eu sou puro amor.
Para de me pedir perdão. Não há nada a perdoar.
Se Eu te fiz… Eu te enchi de paixões, de limitações, de prazeres, de sentimentos,
de necessidades, de incoerências, de livre-arbítrio.
Como posso te culpar se respondes a algo que eu pus em ti?
Como posso te castigar por seres como és, se Eu sou quem te fez?
Crês que eu poderia criar um lugar para queimar a todos meus filhos que não se comportem bem, pelo resto da eternidade?
Que tipo de Deus pode fazer isso?
Esquece qualquer tipo de mandamento, qualquer tipo de lei; essas são
artimanhas para te manipular, para te controlar, que só geram culpa em ti.
Respeita teu próximo e não faças o que não queiras para ti.
A única coisa que te peço é que prestes atenção a tua vida,
que teu estado de alerta seja teu guia.
Esta vida não é uma prova, nem um degrau, nem um passo no caminho, nem
um ensaio, nem um prelúdio para o paraíso.
Esta vida é o único que há aqui e agora, e o único que precisas.
Eu te fiz absolutamente livre. Não há prêmios nem castigos.
Não há pecados nem virtudes. Ninguém leva um placar.
Ninguém leva um registro.
Tu és absolutamente livre para fazer da tua vida um céu ou um inferno.
Não te poderia dizer se há algo depois desta vida, mas posso te dar um conselho.
Vive como se não o houvesse.
Como se esta fosse tua única oportunidade de aproveitar, de amar, de existir.
Assim, se não há nada, terás aproveitado da oportunidade que te dei.
E se houver, tem certeza que Eu não vou te perguntar se foste comportado ou não.
Eu vou te perguntar se tu gostaste, se te divertiste…
Do que mais gostaste? O que aprendeste?
Para de crer em mim – crer é supor, adivinhar, imaginar.
Eu não quero que acredites em mim. Quero que me sintas em ti.
Quero que me sintas em ti quando beijas tua amada, quando agasalhas
tua filhinha, quando acaricias teu cachorro, quando tomas banho no mar.
Para de louvar-me! Que tipo de Deus ególatra tu acreditas que Eu seja?
Me aborrece que me louvem. Me cansa que agradeçam.
Tu te sentes grato? Demonstra-o cuidando de ti, de tua saúde, de tuas relações, do mundo.
Te sentes olhado, surpreendido?… Expressa tua alegria!
Esse é o jeito de me louvar.
Para de complicar as coisas e de repetir como papagaio o que te ensinaram sobre mim.
A única certeza é que tu estás aqui, que estás vivo, e que este mundo está cheio de maravilhas.
Para que precisas de mais milagres?
Para que tantas explicações?
Não me procures fora! Não me acharás.
Procura-me dentro… aí é que estou, batendo em ti.

(http://www.facebook.com/groups/272598152776172/…)

UMA ORAÇÃO

UMA ORAÇÃO

POR ANDRÉ SENA

Agradece ao receber gratidão. Liberta-te de toda a ingratidão para com todo aquele que torna pleno o teu Ser. E deste Ser ninguém é excluído. Agradece por todos os incontáveis canais que estendem esse Ser. Tudo o que fazes é dado a Ele. Tudo o que pensas só pode ser os Seus Pensamentos, compartilhando com Ele os santos Pensamentos de Deus. Recebe agora a gratidão que negaste a ti mesmo quando esqueceste a função que Deus te deu. Mas jamais penses que Ele tenha em algum momento cessado de te agradecer.
(UCEM – LE – Lição 197)

Venho diante de Ti, meu Pai, para saber agradecer. Não sei se ainda sei rezar, aprendi em outras formas, me detive em muitos meios que julgava vantajosos. Não sei como dizer do quanto Te quero, que quero mais que tudo, pois Tu és tudo. Percebo-me com medo por esses dias, Pai, dias ruins, mas não valorizo o medo. Quero sentir o medo adequadamente, e, por meio disso, quero dizer que aceito sentir medo somente até quando eu puder distinguir bem, e que seja para breve esse tempo e este perceber da minha mente dividida. Assim, empenho-me para fazer a escolha certa sem me esteirar em ilusões, para alcançar a Tua glória em ser a mim mesmo, para que eu possa ser-me grato por liberar a mim mesmo, e assim possa eu ser finalmente grato aos meus irmãos e liberá-los. Não posso te pedir coisa alguma, isto já percebi, pois seria o mesmo que puir o pedir. Neste mundo da matéria, o que peço são os meios que transmitam paz ao mesmo mundo, para o retorno de todos, meu Pai, para que não haja mais a guerra entre meus irmãos, nem entre mim e meus irmãos. Estou cansado, meu Pai, mas sei que é assim por minha tão pouca visão, meu empenho distraído, minha paz escalavrada pela dor que é mentira e enleio em suas formas de fazer com que os outros tenham de mim piedade. Pai, que eu tenha de mim mesmo piedade, que eu saiba ancorar apenas o anseio necessário ao entendimento certo; que eu possa, livre de emoção, olhar para o mal e saber fazer a escolha por Ti. Assim, peço-Te a intervenção, que me julgues pronto quando acreditares sê-lo, e me despertes Pai, em teu Reino, e que faças de mim um meio através do qual permaneça aqui em corpo ajudando ao Teu propósito. E assim, peço-Te que no dia em que eu puser os pés do lado real da vida, para cá eu não volte mais. Assim eu peço, espero tê-lo feito em minha mente certa, e agradeço por Tu teres estendido a este mundo a alegria, assim como agradeço a mim mesmo por percebê-la. Que seja assim com todos os meus irmãos, meu Pai, que, como eu, não sabem o que fazem — ainda. Amém.

CULPA E MEDO

CULPA E MEDO

“A culpa e o medo não só devastam a nossa vida emocional, como também o nosso corpo. Muitos de nós, pelo apego à culpa e ao medo, acabam fazendo inconscientemente coisas que agridem o nosso próprio corpo.
Por exemplo, eu era incrivelmente propenso a ser vítima de acidentes. Nunca pensei muito a respeito, exceto que eu parecia ter muito azar. Essa explicação encaixava-se perfeitamente na minha crença de ser uma vítima neste mundo.
Quando mudei meu sistema de crenças e comecei a buscar um outro modo de olhar o mundo, deixei de ser propenso a acidentes. Eu tomara a decisão de nunca mais ver a mim mesmo como uma vítima. comecei a reconhecer, quase de imediato, que eu estivera desempenhando um papel ativo na criação dos meus vários ‘acidentes’. Eles não eram, de modo algum, produtos do meu azar como eu pensava antes.
Quando deixei de dar valor ao sentimento de culpa pelo meu comportamento e pelos pensamentos do passado, nunca mais senti nenhuma necessidade de autopunição. Acredito realmente que existea uma parte dentro de cada um de nós que, quando estamos sentindo culpa, nos diz: ‘Castigue a si mesmo ou procure uma pessoa que seja alvo da sua ira e a quem possa castigar.’ Era assim que eu, no passado, costumava despender um tempo enorme punindo a mim mesmo pela culpa que sentia ou punindo os outros com o meu comportamento provocador e agressivo.
Quando nosso coração e nossa mente estão unidos através de pensamentos amorosos e nada mais, experimentamos a mais poderosa força de cura conhecida pela humanidade – o poder de cura do amor.”
(Gerald Jampolsky “Mude a sua mente e transforme a sua vida”)

VIA GRUPO MERA

A CADA DIA EM QUE VOCÊ PERDOA, OS EFEITOS DE TODOS OS ENGANOS DO MUNDO SÃO DISSOLVIDOS, COMO A NEVE SOBRE O FOGO…

A cada dia em que você perdoa, os efeitos de todos os enganos do mundo são dissolvidos, como a neve sobre o fogo. Não mais culpa, não mais karma, não mais medo do que virá. Pois você encontrou a si mesmo e se declarou inocente, e tudo o que se segue a isso é tão natural quanto Deus.
Não mais nascimentos, nem a velha morte; eram apenas idéias. Se você tiver que voltar outra vez para ajudar alguns poucos a encontrar o caminho, então, que seja; mas você não é um corpo, você é amor, e não importa onde o amor parece estar. Por ser amor, não pode estar errado.
Chegará o dia quando a dor será impossível, o amor estará em todos os lugares, e a verdade será tudo o que existe. Você sempre tem esperado por isso, freqüentemente de forma silenciosa e sem nem mesmo estar ciente disso. O conhecimento do que você é é mais certo agora, e o amor não se esqueceu de ninguém.
Dia virá no qual o mundo vai cantar a canção do espírito, ao invés dos tons lamuriosos que ocultam a Voz pela verdade. Dia virá em que não haverá mais nada a perdoar, e a celebração com suas irmãs e irmãos será a tônica.
E, então, dia virá em que não haverá mais necessidade de dias. E vocês viverão como um para sempre, na santidade da sua realidade imortal.

(Gary R. Renard, do livro “Sua Realidade Imortal”)

ABDRUSCHIN – O SILÊNCIO

RETIRADO DA OBRA MENSAGEM DO GRAAL – ABDRUSCHIN

TÃO logo surja em ti um pensamento, trata de retê-lo, não o exponhas logo, porém nutre-o; pois ele condensa-se mediante a contenção no silêncio e ganha em forças, como o vapor sob compressão.
A pressão e a condensação geram a propriedade duma reação magnética segundo a lei de que tudo o que é mais forte atrai o fraco. Formas de pensamentos análogas serão através disso atraídas de todas as partes, seguradas, reforçando cada vez mais a força do próprio pensamento primitivo, e apesar disso atuam de modo que a primeira forma gerada se vá moldando, transformando-se e adquirindo formas variáveis por ação de outras desconhecidas, até atingir seu amadurecimento. Sentes tudo isso dentro de ti; todavia, julgas que isso resulta unicamente da tua própria vontade. Mas em coisa alguma dás inteiramente tua própria vontade, tens sempre junto algo alheio!
Que te diz esse fenômeno?
Que somente com a fusão de muitas partículas algo perfeito pode ser criado! Criado? Está isso certo? Não, mas sim formado! Pois realmente não há nada de novo a criar, trata-se em tudo apenas de um novo formar, visto que todas as partículas já existem na grande Criação. Cumpre apenas impulsionar essas partículas em direção ao caminho da perfeição, o que traz a fusão.
Fusão! Não passes de leve por tal termo, procura antes aprofundar-te nesse conceito de que também o amadurecimento e a perfeição são alcançados por meio da fusão. Essa sentença repousa em toda a Criação, como uma preciosidade que quer ser descoberta! Acha-se intimamente ligada à lei de que somente no dar também se pode receber! E o que condiciona a exata compreensão dessas sentenças? Isto é, a vivência? O amor! E por isso o amor constitui também a força máxima, como poder ilimitado dentro do mistério do grande existir!
Assim como a fusão, no caso dum único pensamento, forma, amolda e lapida, assim se dá com o próprio ser humano e com toda a Criação, que na interminável fusão de formas individuais existentes passa por transformações, devido à força de vontade, tornando-se assim o caminho para a perfeição.
Um ser isolado não pode oferecer-te a perfeição, mas sim a humanidade toda, na pluralidade de suas características! Cada qual tem algo que pertence de maneira incondicional ao conjunto. Daí acontecer também que uma pessoa que já atingiu amplo progresso, já não conhecendo mais nenhuma cobiça terrena, sinta amor pela humanidade inteira e não por um ser isolado, visto que somente a humanidade toda consegue fazer vibrar em harmoniosa sinfonia celestial as cordas de sua alma amadurecida, libertadas através da purificação. Traz harmonia dentro de si, porque todas as cordas vibram!
Voltemos ao pensamento que atraiu para si as formas alheias e que assim se foi tornando cada vez mais forte: acaba finalmente elevando-se para cima de ti em cerradas ondas de força, rompe a aura da tua própria pessoa e passa a exercer influência sobre um âmbito mais amplo.
A isso a humanidade cognomina magnetismo pessoal. Os leigos dizem: “Irradias algo!” Conforme a espécie, trata-se de algo agradável ou antipático, atraente ou repulsivo. Mas sente-se!
Contudo, não irradias nada! O fenômeno que ocasionou tal sensação nos outros origina-se no fato de atraíres magneticamente tudo o que tem afinidade espiritual contigo. É esse atrair que as pessoas próximas sentem. É que nisso também reside a ação recíproca. Assim, nesse contato, essa outra pessoa sente então nitidamente a tua força, nascendo através disso a “simpatia”.
Mantém sempre diante dos olhos o seguinte: Tudo quanto é espiritual, expresso segundo nossos conceitos, é magnético; e bem sabes que sempre o mais fraco é superado pelo mais forte, pela atração e pela absorção. Por isso “é tirado dos pobres (fracos) até mesmo o pouco que possuem”. Tornam-se dependentes.
Nisso não ocorre nenhuma injustiça, e sim tudo se passa segundo as leis divinas. O ser humano precisa apenas tomar a iniciativa, querer deveras, então ficará protegido disso.
Naturalmente perguntarás: E como será quando todos quiserem ser fortes? Quando nada tiverem a tomar de alguém? Então, querido amigo, será um intercâmbio espontâneo, subordinado à lei de que somente dando é que também se pode receber. Não ocorrerá paralisação; apenas será anulado tudo quanto é inferior.
Assim, pois, acontece que, devido à preguiça, muitos se tornam dependentes no espírito, chegando até mesmo à incapacidade de desenvolver seus próprios pensamentos.
Urge salientar, entretanto, que somente o de igual espécie é atraído. Daí o provérbio: “Igual com igual se entendem bem”. Assim se juntarão sempre os que são dados à bebida, fumantes têm “simpatias”, tagarelas, jogadores, etc.; mas também os de índole nobre se encontram para fins elevados.
No entanto, ainda prossegue: o que espiritualmente se aspira também se efetiva por fim fisicamente, visto todo o espiritual perpassar a matéria grosseira, razão pela qual cumpre reter sempre em mente a lei da ação de retorno, porque um pensamento sempre mantém ligação com a origem, causando nessa ligação irradiações retroativas.
Refiro-me aqui sempre apenas aos pensamentos reais, que contêm em si a força vital da intuição anímica. E não me refiro ao desperdício de forças da substância cerebral confiada a ti como instrumento, formando apenas pensamentos voláteis que se manifestam como emanações difusas em desordenada confusão e que, felizmente, logo se desfazem. Tais pensamentos só te custam tempo e força, e desperdiças com isso um bem que te foi confiado.
Meditas, por exemplo, a sério sobre determinada coisa, tal pensamento se tornará fortemente magnético dentro de ti pela força do silêncio e atrairá todos os afins, tornando-se, desse modo, fertilizado. Ele amadurece e transpõe os limites da rotina, penetra devido a isso em outras esferas também, recebendo aí a afluência de pensamentos mais elevados… a inspiração! Por essa razão, em contraste com a mediunidade, na inspiração o pensamento básico deve partir de ti mesmo e deve formar a ponte para o além, o mundo espiritual, a fim de ali haurir conscientemente de uma fonte.
Por conseguinte, a inspiração não tem nada a ver com a mediunidade. Dessa forma o pensamento amadurecerá dentro de ti. Avanças para a realização e trarás, condensado por tua força, aquilo que já pairava antes em inúmeras partículas no Universo, como formas de pensamentos.
Dessa maneira crias uma nova forma por meio da fusão e da condensação daquilo que desde há muito já existia espiritualmente! Assim, na Criação toda, apenas mudam sempre as formas, pois tudo o mais é eterno e indestrutível.
Acautela-te de pensamentos confusos, e de toda a superficialidade no pensar. O descuido vinga-se amargamente, pois sem demora te verás rebaixado a um lugar tumultuado de influências estranhas, o que te tornará facilmente irritado, inconstante e injusto para com os que te rodeiam.
Se tens um pensamento autêntico e o sabes reter bem, assim finalmente essa força concentrada também tem de ser impelida para a realização, pois o desenvolvimento de tudo se desenrola espiritualmente, já que toda força é apenas espiritual! O que então consegues distinguir são sempre apenas as últimas manifestações dum processo magnético-espiritual ocorrido antes e que se realiza em ordem predeterminada e sempre uniforme.
Observa, e quando pensas e sentes, logo terás a prova de que toda a vida real só pode ser na verdade a espiritual, onde unicamente se encontram a origem e o desenvolvimento. Tens de chegar à convicção de que tudo quanto vês com os olhos corpóreos realmente são apenas manifestações do espírito eternamente impulsionante.
Qualquer ação, até mesmo os menores movimentos duma pessoa, tudo foi precedido sempre de uma vontade espiritual. Os corpos exercem em tais casos apenas a função de instrumentos vivificados pelo espírito, que propriamente só adquiriram consistência através da força do espírito. Assim também árvores, pedras e toda a Terra. Tudo é vivificado, traspassado e impulsionado pelo espírito criador.
Visto que a matéria toda, portanto o que é visível terrenamente, só vem a ser efeito da vida espiritual, não te será difícil compreender que, conforme a espécie mais imediata da vida espiritual que nos rodeia, assim se formarão também as circunstâncias terrenas. O que daí se deduz logicamente é claro: ao próprio ser humano é dada, pela sábia disposição da Criação, a força para formar as condições de vida mediante a própria força do Criador. Feliz dele se a utilizar somente para o bem! Mas ai dele, se deixar induzir-se a utilizá-la para o mal!
Nos seres humanos o espírito somente é envolvido e escurecido através das ambições terrenas que, como escórias, aderem, sobrecarregam e arrastam-no para baixo. Seus pensamentos são, pois, atos de vontade nos quais repousa a força do espírito. O ser humano dispõe da decisão para pensar bem ou mal e pode assim orientar a força divina tanto para o bem como para o mal! Nisso se baseia a responsabilidade que o ser humano tem consigo, pois a recompensa ou o castigo hão de vir, já que todas as conseqüências dos pensamentos voltam ao ponto de início através da lei da reciprocidade instituída, que nunca falha, e que nisso é inamovível, portanto, inexorável. E por isso também incorruptível, severa e justa! Não se diz o mesmo também a respeito de Deus?
Se muitos inimigos da fé hoje nada mais querem saber da divindade, tudo isso não consegue alterar em nada os fatos que expus. Basta que essas pessoas suprimam a palavra “Deus” e se aprofundem deveras na ciência, virão a encontrar então exatamente o mesmo, só que expresso em outras palavras. Não é, portanto, ridículo discutir sobre isso?
Nenhum ser humano pode se esquivar das leis da natureza, ninguém consegue nadar em sentido contrário a elas. Deus é a força que impulsiona as leis da natureza, a força que ninguém ainda compreendeu, que ninguém viu, mas cujos efeitos cada um, dia a dia, hora a hora, até mesmo nas frações de todos os segundos, tem de ver, intuir, observar, se apenas quiser ver, em si próprio, em cada animal, cada árvore, cada flor, cada fibra de uma folha, quando irrompe do invólucro para chegar à luz.
Não é cegueira opor-se tenazmente, quando todos, até mesmo esses negadores obstinados, reconhecem e comprovam a existência dessa força? O que os impede então de chamar Deus a essa força reconhecida? Teimosia pueril? Ou uma certa vergonha por terem de declarar que durante tanto tempo procuraram negar obstinadamente algo, cuja existência há muito lhes era evidente?
Certamente não é nada de tudo isso. A causa deve residir no fato de que foi apresentado à humanidade, de tantas partes, caricaturas da grande divindade, com as quais, num sério pesquisar, não podia concordar. A força da divindade, que tudo abrange e tudo perpassa, tem de ser diminuída e desvalorizada com a tentativa de imprimi-la num quadro!
Com reflexão profunda, nenhum quadro pode harmonizar-se com isso! Exatamente porque cada ser humano traz em si o conceito de Deus, é que se opõe cheio de pressentimentos contra a restrição da grandiosa e inapreensível força que o gerou e que o conduz.
O dogma é em grande parte culpado de que aqueles que em seus conflitos procuram transpor cada meta, muitas vezes o façam até mesmo contra a certeza que vive dentro deles.
Mas não está distante a hora do despertar espiritual! Em que se interpretarão direito as palavras do Salvador, compreendendo-se corretamente sua grande obra de salvação, pois Cristo trouxe libertação das trevas, já que apontou o caminho para a verdade, mostrando, como ser humano, o caminho para as alturas luminosas! E com o seu sangue imprimiu na cruz o selo de sua convicção!
A verdade nunca deixou de ser o que foi outrora e que ainda é hoje e há de ser daqui a dezenas de milênios, já que é eterna!
Por isso, aprendei a conhecer as leis que se encontram no grande livro de toda a Criação. Submeter-se a elas significa: amar a Deus! Pois com isso não provocarás nenhuma dissonância na harmonia, mas sim concorrerás para que os acordes vibrantes atinjam amplitude total.
Quer digas: Submeto-me voluntariamente às leis vigentes da natureza, porque elas são em meu benefício, ou quer digas: Submeto-me à vontade de Deus, que se revela nas leis da natureza ou na força inconcebível que impulsiona as leis da natureza… ocorre alguma diferença na atuação delas? A força aí está e tu a reconheces, tens de reconhecê-la, sim, já que não te resta outra alternativa, tão logo reflitas um pouco… e com isso reconheces teu Deus, o Criador!
E essa força atua em ti até mesmo quando pensas! Por conseguinte, não a degrades, servindo-te dela para o mal; pelo contrário, pensa apenas em função do bem! Nunca te esqueças: Quando crias pensamentos, utilizas força divina, com a qual podes alcançar deveras o que há de mais límpido e excelso!
Procura jamais deixar de atentar que todas as conseqüências do teu pensar recaem sempre sobre ti, segundo a força, o tamanho e amplitude dos efeitos dos pensamentos, tanto no bem como no mal.
E como o pensamento é espiritual, assim retornam as conseqüências de maneira espiritual. Encontrar-te-ão, portanto, seja lá como for, ou aqui na Terra, ou então no espiritual, depois de teu falecimento. Por serem espirituais, também não são ligadas à matéria. Disso resulta que a decomposição do corpo não revoga o resgate devido! A retribuição, como conseqüência do retorno, ocorrerá na certa, mais cedo ou mais tarde, aqui ou acolá.
A ligação espiritual permanece firme em todas as tuas obras, pois também as obras materiais terrenas possuem, sim, origem espiritual através dos pensamentos que as geraram, e permanecem, mesmo que tudo o que é terreno tenha desaparecido. Por isso, há veracidade na expressão: “As tuas obras te aguardam, enquanto a prestação de contas não se der pela ação de retorno”.
Caso, por ocasião duma dessas ações retroativas, ainda estejas aqui na Terra, ou aqui tenhas voltado, assim efetiva-se então a força das conseqüências do espiritual, de acordo com a espécie, para o bem ou para o mal, através das circunstâncias, no teu ambiente ou em ti mesmo diretamente, em teu corpo.
Aqui seja mais uma vez indicado especialmente o seguinte: A verdadeira vida se processa no espiritual! E essa não conhece nem tempo nem espaço, logo, também qualquer separação. Situa-se acima dos conceitos terrenos. Por essa razão, as conseqüências te encontrarão onde estiveres, no tempo em que, devido às leis eternas, os efeitos retornam ao ponto inicial. Nada se perde, tudo volta, com toda a certeza.
Isso soluciona também a pergunta, já tantas vezes apresentada, de como acontece que pessoas visivelmente boas às vezes têm de sofrer tanto na vida terrena, e de tal forma, que é visto como injustiça. Trata-se de resgates que têm de atingi-las!
Conheces agora a resposta a essa pergunta; é que teu corpo ocasional não desempenha nisso nenhum papel. Teu corpo não significa bem tu próprio, não é o teu “eu” completo, e sim um instrumento que escolheste ou que tiveste de tomar segundo as leis respectivas da vida espiritual, às quais poderás chamar também leis cósmicas, caso assim te pareça mais compreensível. A respectiva vida terrena é somente um curto espaço da tua existência real.
Um pensamento arrasador, se não houvesse nenhuma saída, nenhum poder que se contrapusesse protetoramente. Quantos deveriam desanimar ao despertarem para o espiritual, e desejariam, de preferência, que o sono da rotina continuasse. Eles não sabem, pois, o que os aguarda e o que ainda os atingirá de outrora pela ação de retorno! Ou, como dizem os seres humanos: “O que eles ainda têm de reparar!”
Contudo, não tenhas receio! Com o despertar te será mostrado também, na sábia disposição da grande Criação, um caminho através daquela força da boa vontade, a que já me referi detidamente e que atenua os perigos do carma que se desencadeia, ou os afasta totalmente para o lado.
Também isso o Espírito do Pai depôs na tua mão. A força da boa vontade forma à tua volta um círculo capaz de destruir a ação nociva do mal ou atenuá-la bastante, da mesma forma que a camada de ar protege o globo terrestre.
Contudo, a força da boa vontade, essa proteção eficaz, aumentará e se consolidará através do poder do silêncio.
Por isso, a vós que procurais, chamo mais uma vez e insistentemente a atenção:
Conservai puro o foco dos vossos pensamentos, e praticai antes de mais nada o grande poder do silêncio, se é que quereis ascender.
O Pai já depositou em vós a força para tudo. Precisais apenas utilizá-la!

VIA A B D R U S C H I N

DEPOIMENTOS DE INFLUENTES PESSOAS QUE TIVERAM CONTATO COM O UCEM

DEPOIMENTOS DE INFLUENTES PESSOAS QUE TIVERAM CONTATO COM O UCEM

“De todos os milagres da vida, que são eventos não inteiramente compreendidos ou previsíveis, o milagre da transformação moral e espiritual é o mais duradouro e importante. Este Curso em particular aborda este caminho à sua própria maneira. O Curso indica que não é apenas para ser lido, e sim realizado. Seus valores para o indivíduo, portanto, deveriam ser medidos pelos resultados pessoais de uma vida dessa forma transformada. Aqueles que conheço e que empreenderam este estudo neste espírito, podem testificar a sua transformação”.
(Glenn A. Olds, PhD, 56, Presidente da Universidade De Kent, ex-embaixador dos Estados Unidos no Conselho Econômico das Nações Unidas)

“Será um terreno muito bom para aqueles que atuam no movimento da paranormalidade. Provavelmente é moderado para pessoas muito envolvidas com o fenômeno psíquico. Este curso me deu uma visão melhor para enxergar o espectro psíquico como um todo. Ele ensina como usar sua própria conduta como um ensinamento, e lhe dá os meios de examinar sua própria programação e de apagar velhas gravações. O curso provavelmente acabará sendo incluído entre os dez maiores clássicos espirituais de todos os tempos.”
(Ralph Blum, Escritor, romancista e roteirista)

“Fiquei extremamente surpresa com os aforismos das duas primeiras páginas. São muito poderosos. Me impressionei com os efeitos dos exercícios. Jamais vira algo assim antes. Não acho que seja para todas as pessoas mas é autêntico, seja lá de onde veio. Tendo conhecido a Dra. Helen pessoalmente, não consigo imaginar que tenha se originado nela.”
(Marilyn Ferguson, Editora do Brain/Mind Bulletin, autora de “A Conspiração Aquariana”)

“Tive uma experiência gestáltica interna de ver o todo enquanto fazia as partes. Ele integrou uma porção de coisas na minha vida. Reconheci muitas coisas que vinha tentando fazer e fiz conexões com coisas nas quais estava trabalhando. Passo por experiências difíceis de uma maneira transcendental.”
(Eleanor Criswell, PhD, Presidente da Associação para a Psicologia Humanística, professora associada de Psicologia na Faculdade do Estado de Sonoma, gerente editorial da Revista Somatics, e fundadora do Instituto de Psicologia Humanística)

“Vi uma porção de livros assim, a maioria fracos e banais, mas quando vi o material do Curso, achei bastante gracioso e elegante. É bastante direto, claro, vivaz, e redigido de uma forma intelectual. Acho que é cheio de insights psicológicos.”
(John White, Jornalista, escritor, editor e professor)

“Eu ouvira dizer que o autor se dizia Jesus. Achei que pudesse ser, pela natureza do texto, e por algumas meditações. Este não é o único caminho, mas um que você pode entender intelectualmente. Tem afetado toda a minha vida.”
(Stanley Lamb, PhD, professor de Linguística na Universidade de Yale)

“O material de Um Curso em Milagres se adequa nas hipóteses cientificas atuais de que há uma inteligência criativa no universo. Ele providencia o elo que faltava para unir todos os sistemas de meditação. Temos tido tantos professores do oriente e do ocidente. Praticamente todos tem enfatizado que você pode fazer estas coisas, mas nenhum disse exatamente como. Este é o único material que realmente cria uma realização. Eliminou minhas úlceras e hipertensão… nunca vi nada com tamanha marca de autenticidade.”
(John Fetzer, Presidente dos Detroit Tigers, proprietário de emissora de Rádio e TV. Presidente do Comitê de planejamento da liga americana)

“Para mim ele pega todas as idéias da Bíblia, dos sistemas espirituais tanto do Ocidente quanto do Oriente e mostra como eles devem ser aplicados no cotidiano. Estou absolutamente surpreso. Tenho mais paz agora. Este é um aprendizado inacreditável do amor incondicional. Fazer isso por si mesmo é incrível. Com bagagem científica, deveria ser difícil para mim negar o que os meus sentidos me dizem. Mas em holografia, por exemplo, você descobre que tudo é ilusão, de qualquer forma. Nada é sólido, apenas uma ilusão de desconsideração dos espaços ente os átomos e as moléculas. O Curso também me mostrou o que fazer com os efeitos psíquicos, e como integrá-los em um tipo de religião.”
(Douglas Dean, Químico, professor de programação e estatística. Antigo pesquisador associado à parapsicologia, curas e fotografia Kirlian na Faculdade de Engenharia Newark)

“O Curso veio até mim no momento em que precisava de uma orientação interior. Senti que minhas atividades externas deveriam ser guiadas por uma voz interior que eu vinha ouvindo por anos. Quando me abri para o Curso pela primeira vez, reconheci a voz que eu vinha ouvindo. Hoje me encontro em um profundo estágio de desenvolvimento espiritual, e o Curso é um dos meus maiores orientadores.”
(Barbara Marx Hubbard, Presidente do Comitê para o Futuro)

“Tenho estado envolvido com o Zen e outras abordagens. O que é bastante significativo a respeito deste Curso para a nossa cultura é que ele chega à mesma meta, mas o faz em um contexto da religião cristã. Os outros membros da nossa organização o leram e ficaram bastante impressionados. Estamos estudando o Curso em grupo, e as mudanças que temos observado tem sido particularmente gratificantes para mim. Atualmente há 12 grupos na área com o total de 432 participantes.”
(Willian Roll, PhD, diretor de projetos da Fundação Para Pesquisas Psíquicas)

“É algo que pode ser feito em pleno acordo com meus horários. Ficou mais fácil lidar com aborrecimentos diários e frustrações. A pessoa se sente capaz de transcende-los e enxerga-los como experiências de aprendizado. Para mim, é muito semelhante ao que Don Juan diz sobre apagar sua história pessoal. Funciona. Quando estava no hospital com uma úlcera hemorrágica, li a seção sobre a cura. Acho que por isso minha estada foi tão breve. Quando fizeram um raio-x, ela havia praticamente desaparecido.”
(Stanley Krippner, PhD em parapsicologia, escritor, e coordenador de programa no Instituto de psicologia humanística)

“Eu dou sete aulas gratuitas sobre o Curso por semana. O aspecto mais importante a este respeito para mim é que tenho um guia de confiança dentro de mim que me tem trazido mais paz e cura do que qualquer outra coisa que fiz nos últimos 13 anos. Eu o vi tocar as vidas de muitas pessoas mais radical e rapidamente do que qualquer outra disciplina que já ensinei. Parece-me que usa a mente para transcender a própria mente. É uma abordagem que leva a pessoa além do ponto onde é possível retornar, onde se percebe a própria natureza como sendo algo espiritual, e a própria função como a de ser o Filho de Deus. Meus irmão a minha volta são agora a fonte de minha salvação, em vez de serem uma influência negativa ou obstáculo ao meu crescimento. O curso fez a vida ser um processo espiritual orgânico.”
(Bruce Gregory, Instrutor do Método Silva de Controle Mental, ex gerente da CBS, presidente em Nova York da Spiritual Frontiers)

“Tenho usado o Curso o tempo todo em minha prática, especialmente com crianças com doenças graves ou terminais. Gostaria de compartilhar a essência da experiência excitante do Curso. Uma das coisas que ele faz é proporcionar um sistema que nos permite abrir mão do paradigma passado-futuro. Não é que nossas memórias sejam erradas, mas nosso apego emocional ao passado é irrelevante. .. De forma inesperada você começa a experimentar um senso de paz e uma extensão da vida. E difere muito da experiência religiosa em termos de instituição. Coisas que não deveriam ocorrer de acordo com as leis humanas acontecem de uma forma linda.”
(Gerald Jampolsky, Psiquiatra, consultor do Centro para Cura das atitudes, em Tiburon California)

Do site http://www.umcursoemmilagres.com (agora extinto)