AMOR SEM LIMITES – 9. O Deus Vivente

AMOR SEM LIMITES
9. O Deus Vivente

Senhor-amor, se te chamo amor, se descubro em ti o amor sem limites, não quero com isso deificar um “sentimento”.
O amor sem limites não é um sentimento de amor, um sentimento humano e subjetivo.
Meu amor, Tu não és um atributo metafísico; Tu não és uma experiência psicológica; Tu não és um imperativo moral; Tu não és uma entidade impessoal; a sombra que passa, a imagem que empalidece.
Meu amor sem limites, Tu és o vivente supremo, o Deus vivente. Vou a Ti como ao primeiro amante. Vou a Ti como ao amante apaixonado (um amante apaixonado que não pode sofrer nenhuma paixão, mas que carrega dentro de si, ao máximo, o impulso apaixonado ativo). Vou a Ti como ao amante de quem flui todo amor.
Meu bem-amado vem a mim. E porque vem a mim, eu posso ir até ele. Eu ouço o ruído de seus passos, Escuto sua voz. Ele vem para sempre.

FONTE: ECCLESIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s