AMOR SEM LIMITES – 19. O incoordenável

AMOR SEM LIMITES – 19. O incoordenável


Filho meu, não te deixarei tranquilo. Quero ensinar-te a superação. É bom que estejas satisfeito com a beleza harmoniosa. Mas deves descobrir este despreendimento que te faz vislumbrar o que é sublime.
Não blasfemarás contra a inteligência. Eu sou o princípio e o fim do pensamento. Mas não quero prender-te para sempre aos lentos rigores da reflexão. Quisera dar-te a visão…!
Sê obediente e piedoso. Estas coisas sobre as quais se zomba tanto nos dias de hoje. Mas eu não quero que te acostumes a uma moral ou piedade confortável. Quero inspirar-te o sacrifício.
Reconheces a distância que há entre teu Deus e tu mesmo. E isto é correto. Mas, tenha cuidado para não medir essa distância para manter-te estritamente na atitude do menor esforço.
Filho meu, quero revelar-te dia após dia o Deus feito homem, o teu Senhor-amor que se faz carne, que se faz a tua carne.
Assumindo, sem se misturar, a natureza humana, fazendo-se um de nós sem deixar de ser ele mesmo, é assim como o amor sem limites rompe os limites de maneira suprema.

FONTE: ECCLESIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s