"A Casa Sobre A Rocha" (Mt5:24).

“O Amor é a Lei de Deus. Viveis para que aprendais a amar. Amais para que aprendais a viver. Nenhuma outra lição é exigida do homem.” (O Livro De Mirdad)

Posts Tagged ‘ESTE É O MILAGRE QUE SEMPRE OCORRE AOS QUE REALMENTE ESTÃO AMANDO: QUANTO MAIS DÃO MAIS POSSUEM DESSE AMOR DELICIOSO E NUTRITIVO DO QUAL AS FLORES E AS CRIANÇAS EXTRAEM A SUA FORÇA E QUE PODERIA’

MANDALA DA ABUNDÂNCIA DIVINA OU PROSPERIDADE (MÁRIAN – MARTA MAGALHÃES)

Posted by José Eduardo Glaeser em 03/10/2012

Ser próspero, na verdade, é ser feliz e abençoado. É estar conectado com a Abundância Divina recebendo todas as graças que Deus Pai e Mãe nos oferecem e das quais somos merecedores.
Quem pratica o Amor é próspero…
Aquele que é humilde e grato também…
A prosperidade financeira não é símbolo de felicidade, pois a matéria é efêmera e ilusória…
Se a pessoa não está conectada à Abundância Divina, mesmo que ela tenha tudo o que o dinheiro pode comprar, ela se sentirá vazia e insatisfeita… e estará sempre tentando preencher essa vacuidade com “coisas” e mais “coisas”…
O único bem que nos preenche verdadeiramente é o AMOR… o AMOR e seus desdobramentos como a COMPAIXÃO e a FRATERNIDADE…
Acreditem, se estivermos conectados à Abundância Divina, tudo aquilo que necessitamos para a nossa evolução nos será oferecido, inclusive o nosso sustento material…

Namastê,

Márian

Nos encontre no Facebook http://www.facebook.com/pages/M%C3%A1rian-Soluz/382241055124193

por Márian – Marta Magalhães – marian.luar@ig.com.br
Márian é Terapeuta Holística e Artista Plástica. Recebe orientações de Seres de Luz que visam o aperfeiçoamento do Ser Humano através do exercício do Silêncio, do resgate dos Princípios da LUZ e da vivificação do AMOR. Encontros de Meditação e Vivências. Mandalas Pessoais. (31) 8738-2064
Lido 833 vezes, 17 votos positivos e 0 votos negativos.
E-mail: marian.luar@ig.com.br
Visite o Site do autor

Posted in Geral | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

A arte em toda experiência – Robert Happé

Posted by José Eduardo Glaeser em 12/02/2012

Estamos vivendo em um tempo dinâmico no qual a mudança está afetando todos os níveis de vida. Todos nós estamos sendo estimulados a nos preparar para nos unir. Em cada setor da vida nós precisamos implementar mudanças significativas e duradouras.
O que está acontecendo é o nascimento de um novo mundo e um novo tempo que estão vindo para implementar os processos de reforma. Isto significa libertar-se da negatividade que nos tem mantido presos a laços de terceira dimensão.
Na maioria das pessoas, o desejo pela evolução pessoal é muito pequeno devido à falta de informação útil ou de compreensão de si mesmos. Nenhuma pessoa é semelhante à outra devido às diferentes experiências que vivenciou, mas, ao mesmo tempo, todos viemos da mesma fonte. Tudo o que precisamos aprender é a cooperar, trabalhar juntos e crescer a partir do compartilhar do conhecimento.
Todas as pessoas do nosso planeta, sem exceção, estão aprendendo a encontrar o equilíbrio. O dogma das estruturas de crença presente em todo o mundo tem impedido o desenvolvimento natural do processo de humanização, tendo como resultado o fato de que a maioria perdeu o verdadeiro significado da sua presença neste belo planeta.
Todos nós, em nível de alma, escolhemos estar aqui, neste período incrível, para participar desta era única de renovação espiritual e transformação global. Muitos, contudo, têm tido dificuldade de abraçar a Verdade Universal e preferem se manter apegados a suas crenças dogmáticas. Eles se recusam a aceitar que o que lhes foi dito está errado! Eles se confortam em saber que terão oportunidades em outros mundos tridimensionais, os quais lhes permitirão lembrar da sua divindade e igualdade com todos. Não há punição para ninguém, apenas oportunidades para evoluir.
Não é fácil entender por que tantas pessoas são tão diferentes. Tudo é uma questão de ter conhecimento das necessidades de auto-realização e dos vários desafios que se encontram diante de nós e que requerem maestria. Os passos a serem dados, no intuito de compreender o nosso próprio processo de desenvolvimento, foram extirpados da humanidade e substituídos por dogmas, causando insegurança e a separação do amor, permitindo que o medo se tornasse a principal força motriz.
Quando alguém está assustado, afastado do coração e do amor, não há forma dele compreender algo com o qual, conscientemente, não consegue se relacionar. Contudo, a compreensão virá quando não mais houver separação entre a mente e a alma, entre o masculino e o feminino. A alma contém em seu banco de dados o conhecimento da Unidade de todos, incluindo a ciência das leis universais. Quando esta conexão interna entre mente e alma é feita, a compreensão se faz rapidamente.
Não estamos sendo forçados a escolher entre um caminho superior que conduz para o alto na direção de ações cooperativas, ou o caminho inferior que conduz para baixo para ações de competição.
Entrementes, a infusão de luz está fortalecendo nossas consciências e elevando a nossa sensibilidade. E muitos estão se tornando conscientes das novas escolhas a serem feitas. Em algum momento, num futuro breve, será finalmente compreendido que, não importa o trabalho que se faça, todos serão lembrados pela forma como tratam os outros.
O que também precisa ser lembrado é que tudo que tem sido considerado ruim no nosso mundo, foi necessário para que todos alcançassem o equilíbrio. Nós temos jogado o jogo do mocinho e do bandido, talvez por inúmeras vidas; tudo no intuito de atingir o verdadeiro equilíbrio.
É por isso que o conselho para todos nós é não julgar ninguém. Nesta era particularmente extraordinária em que terminam as lições kármicas das três dimensões, os extremos do bem e do mal não são mais necessários, já que a intensificação da luz está reconciliando os opostos. Só existe equilíbrio na luz.
Quando a mente consciente e a alma se unem e se tornam parceiros criativos, a consciência se torna desperta e todo o panorama, que só é conhecido atualmente a nível de alma, se desdobra. Cada transformação que ocorre dentro do indivíduo flui para fora de uma maneira limpa, penetrando as famílias e as comunidades nas quais eles vivem. Muitas pessoas sentem que elas devem fazer alguma coisa significativa. No entanto, devido à pobre conexão com sua alma e com sua missão-de-alma, elas se ressentem da falta de foco e se sentem impotentes no sentido de fazer a diferença.
Quando nos sentirmos mais confortáveis acerca de quem nós verdadeiramente somos, compreenderemos que todos nós somos filhos da luz, capazes de fazer brilhar a luz da bondade que cura toda a ignorância. Bondade (Goodness) não é diferente de divindade (Godliness).
Ajudar no processo do despertar dos outros traz equilíbrio para você e para eles. E a luz gerada por estas ações flui para fora e beneficia a todos. Nosso equilíbrio é uma contribuição sem preço para difundir o amor e o cuidado mundo afora. É este movimento de estados de consciência competitiva para estados de consciência cooperativa que gera equilíbrio em todos os níveis. A Educação deve ser alinhada a este propósito. A competição consigo mesmo para fazer o melhor deveria ser encorajada.
O medo e a confusão que a maioria das pessoas vivencia, vêm do não saber o que está acontecendo. Paz e equilíbrio chegam a partir do saber o que está acontecendo. Quando a educação se torna encorajadora e apoiadora no sentido de conduzir os alunos a buscar o despertar e a compreensão espiritual do processo de desenvolvimento, nós teremos paz no nosso amado planeta em uma década.
A arte em toda a experiência é amar.

VIA
Blog
“Eoluindo No Caminho”

Posted in Geral | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

NAO ESTRANHE. VOCE PRECISA SER DIFERENTE

Posted by José Eduardo Glaeser em 09/12/2011


(Pe. Jonas Abib)

Você que tem caminhado numa vida no Espírito, que tem lido, meditado e lutado por viver a Palavra de Deus, tem falas, atitudes e comportamento diferentes das outras pessoas.
Imediatamente elas começarão a achar que você não é deste mundo. Irão achá-lo estranho. Isso vai acontecer entre parentes e amigos. Quem sabe entre marido e mulher: um está seguindo o Senhor de perto e com perseverança; o outro, não. Aquele que não segue o Senhor logo nota: seu cônjuge está diferente, estranho. Essa é uma feliz realidade! Realmente você mudou, já não é mais a mesma pessoa. Você se tornou diferente. Isso é uma confirmação da Palavra do Senhor: “Se alguém está em Cristo é uma nova criatura. O mundo antigo passou, eis que aí está uma realidade nova” (II Cor 5,17).
Infelizmente, muitos irmãos vão caminhando bem, mas quando chegam nesse ponto, quando começam a ser considerados “diferentes”, voltam atrás, porque não querem ser “diferentes” nem parecer estranhos. Os próprios parentes e amigos, às vezes, até marido ou mulher, filhos ou pais, todos acham que você está estranho, diferente…e dizem que não pode ser assim fanático. Afinal de contas, você tem de ser uma pessoa normal, igual a todo o mundo!…
Muitas vezes, você está caminhando bem, como o Senhor quer que caminhe, orientado pela vontade d’Ele e, justamente para não ser diferente, acaba retrocedendo. É uma pena! O sal deixou de ser sal; a luz deixou de ser luz.
Não estranhe, você precisa ser diferente! Não porque você quer, mas porque o cristão é realmente diferente. O sal é diferente do restante dos alimentos. A luz é diferente da escuridão. “Se alguém está em Cristo é uma nova criatura. O mundo antigo passou, eis que aí está uma realidade nova.”
Quando alguém disser: “Olhe, você está tão diferente, tão estranho! Parece que não está neste mundo”… responda com convicção: “Realmente, eu não sou mais deste mundo”. Não é estranho dizer isso, pois o próprio Jesus o fez:
“Eu não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do maligno. Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. Consagra-os pela verdade: a tua palavra é verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, eu os envio ao mundo. E, por eles, eu me consagro a mim mesmo, a fim de que também eles sejam consagrados pela verdade” (Jo 17,15-19).
Jesus afirma claramente: “Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo”. Já no versículo, Cristo afirma: “Eu lhes dei a tua palavra, e o mundo os odiou, porque eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. Eu não te peço que tires do mundo […]” (Jo 17,14).
Por quê?…Porque o mundo precisa deles. O mundo precisa de cristãos. “Eu não te peço que tires do mundo, mas que guardes do maligno.”
Jesus Cristo volta a afirmar no versículo 16: “Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo”. É exatamente isso! Talvez no passado você fosse “massa” como todo o mundo, mas o Senhor agora o fez sal. Sal para a massa. O sal é sal e não pode deixar de ser sal. Já imaginou o seguinte: “A massa disse assim para o sal: ‘Você está tão diferente, tão estranho, tão salgado. Não! Você precisa ser como todo o mundo!’?…” Já pensou se o sal, então, por causa disso, deixasse de ser sal, perdesse sua força e fosse como todos os outros? Já imaginou?! Seria um mal para o sal e para a massa. A massa precisa ser salgada.
Isso acontece com os cristãos, infelizmente. Os outros lhe dizem que você está diferente, estranho… e você volta atrás. Quem sai perdendo é você e também o mundo.
Cristo usa outra imagem: “Vós sois a luz do mundo!” (Mt 5,14). Claro que a luz é diferente das trevas. Não há nenhuma comunhão entre elas, luz é diferente das trevas. Não há nenhuma comunhão entre a luz e a escuridão: mas a escuridão precisa da luz. Logo, é preciso que a luz seja diferente da escuridão: a luz não pode retroceder. Ela não pode se apagar para ser igual à escuridão. Ao contrário, ela precisa ser luz para acabar com a escuridão.
Você foi tirado do mundo, feito diferente em Jesus e por Jesus: “Todo aquele que está em Cristo é uma nova criatura”. Antes você era escuridão: estava nas trevas. Mas o Senhor o arrancou das trevas e o transladou para Seu Reino. Agora, em Cristo, você é luz como Ele. Assim como a luz é feita para as trevas, você foi feito para o mundo. Não para ser simplesmente luz, mas luz para os outros: para aqueles que não conhecem o Senhor, para aqueles que ainda estão nas trevas.
Se existem pessoas a seu lado, em sua família, em seu meio que não conhecem o Senhor ou que não O seguem de perto, e, justamente por isso, sentem-se incomodadas, não ligue. Se reclamam de você, de seu linguajar, de suas atitudes, de seu proceder, porque você é estranho, não se importe! É um sinal a mais de que eles estão precisando da luz e do sal de Jesus.
É preciso que os cristãos tenham coragem de ir aos escombros deste mundo, arrancar os filhos do reino e trazê-los de volta ao único Rei e Senhor: Jesus. O Senhor conta com você! Por isso você precisa ter esta convicção: não sou deste mundo! Estou neste mundo para servir a meu Senhor, mas não sou deste mundo.
Tenha certeza de que não é sendo igual a todo o mundo que você vai salvar aqueles que precisam, mas justamente sendo diferente. Você não precisa ser artificial. O próprio Senhor lhe dará nova linguagem, novas atitudes, novo comportamento, nova mentalidade: uma vida nova. Por quê? Porque “Se alguém está em Cristo é uma nova criatura. O mundo antigo passou, eis que aí está uma realidade nova” (II Cor 5,17).
(Trecho retirado do livro “Pão da Palavra – vol.1” do monsenhor Jonas Abib)

VIA AD INFINITUM

Posted in Geral | Etiquetado: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | Leave a Comment »

 
%d blogueiros gostam disto: