O AMOR E O PERDÃO SÃO O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA #1

COMO TUDO COMEÇOU:
Na noite do dia 30/01/2013 para o dia 31/01/2013 eu tinha ido deitar pelas 5:00 A.M. e eu estava demorando para pegar no sono e me peguei pensando no trecho bíblico que é um trecho do Evangelho segundo São Marcos no capítulo 12, versículos 28 ao 34 em que um doutor da Lei pergunta a Jesus qual é o maior mandamento e Jesus diz que é amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a si mesmo, e dai o doutor da Lei aparece com o raciocínio de que cumprindo esses dois preceitos valem muito mais que todos os sacrifícios e holocaustos, e Jesus responde a esse doutor da Lei “Você não está longe do Reino dos Céus” e depois o relato conta que todos se calaram.
Depois que fiquei pensando um pouco sobre o assunto, um sentimento de um amor e uma alegria arrebatadoras tomaram conta de mim e também vindo em minha mente um turbilhão de pensamentos e uma torrente de Amor que me impeliram a levantar, ligar a luz e anotar tudo num papel.
Pois já faz algum tempo que pratico isso que é dito e aproveito a madrugada para fazer minhas orações e meditações além de ficar enviando amor e perdão durante o dia todo e isso tem feito simplesmente TODA a diferença em minha vida e os benefícios são inúmeros e inimagináveis sendo impossível de descrevê-los aqui devido ao caráter limitado das palavras. Eu antes também já tinha e leio livros como Conversando com Deus de Neale Donald Walsch, O Curso Em Milagres e similares e tendo obtido ótimos resultados com certeza, mas quando li esse trecho (Mc12:28-34) foi como se fosse uma espécie de catalisador que fez assentar o meu entendimento das leituras anteriores que também ensinam a mesma coisa so que de outro modo enquanto esse trecho ensina de modo mais condensado e direto.
Por isso a quem ler, peço desculpas por qualquer erro de portugês que encontrarem aqui, porque escrever nunca foi minha praia, minhas áreas de interesse são desenho, pintura, matemática, conhecimentos gerais(principalmente história e ciências). Mas vejo que agora tenho de rever meus conceitos nesse ponto. Que essa mensagem seja para Vocês um presente assim como para mim também foi e está sendo.

A MENSAGEM:
Amem muito, perdoem muito! É só isso que eu peço, é só isso que meu Filho Jesus veio fazer entre vocês, Ele veio mostrar que somente pelo Amor Vocês podem chegar até mim, “Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por Mim” (João 14:6) significa que somente fazendo o que Ele fez (quer dizer, tê-Lo como modelo), que é amar, perdoar sempre é que chegarão até Mim.
Não existe outro caminho fora do Amor e do Perdão. Rituais, dogmas, credos, estatutos, liturgias, hermenêuticas, filosofias, teologias não o aproximarão de mim, mas somente Lhes darão uma falsa segurança e se tornarão com o tempo apenas novos bezerros de ouro em suas vidas, deuses esses que só Lhes causarão decepções pelo fato de não satisfazerem as necessidades mais profundas de suas almas, que é o desejo de Amar e ser amado, em resumo, ser como Eu, O Mais Puro Amor que é a Imagem Verdadeira de Vocês. É pelo amor e não por especulações filosóficas, foi isso que meu Amado Paulo lhes disse quando escreveu “Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo” (Colossenses 2:8); e também quando escreveu “O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica” (2 Coríntios 3:6), e Ele estava absolutamente certo certo pois letras, filosofias, teologias, estatutos agem somente no campo do intelecto e do relativo, sendo que o conhecimento de Cristo vem somente a partir do Amor e do Perdão, pois eu sou Amor e Eu Sou discernível somente pelo Amor e pelo Perdão (que também é a essência de todos Vocês).
Por isso Eu digo: Amem; Amem muito! Perdoem; Perdoem muito. Pois quando mais fizerem, mais fácil lhes será. Pois quanto mais Vocês fizerem essas coisas (Amar e Perdoar incondicionalmente é claro) os seus egos vão sendo dissolvidos, pensamentos negativos, ansiedades, depressões, tristezas, falta de senso de proposito na vida, vão começar a ser dissolvidos como nuvens que são dissolvidas ao serem expostas as radiações solares. E a felicidade plena que tanto procuram começará a brotar do coração de Vocês além de inúmeras e maravilhosas dádivas, curas, milagres de todos os tipos, surgirão nas vidas de Vocês a medida em que porem o Amor e o Perdão em prática.

NAMASTÊ

DES-FAZER…

A Salvação (=Despertar) não está tanto no FAZER, mas no DES-FAZER.

(FÉ)+(AMOR)=??||(FÉ)-(AMOR)=??

[FÉ] + [AMOR] = [-LICIDADE] = [FELICIDADE]

[FÉ] [AMOR] = [MAGIA] = [MACUMBA] = [MACCUMBA] = [BARGANHA]

TEOlogia – AMOR = ???

TEOlogia – AMOR = ÍDOLOgia

FÉ SEM AMOR….

Marcos 12:28-34

“FÉ SEM AMOR É COMO UM CARRO SEM ÓLEO OU COM ÓLEO FALSIFICADO[ADULTERADO], MAIS CEDO OU MAIS TARDE ENGUIÇA; O MESMO OCORRE COM UMA FÉ DIVORCIADA DO AMOR.”

AMOR, O IDIOMA DE DEUS

“Se você quer manter contato com um estadonidense você deve estudar para saber falar o idioma inglês, se com um alemão você deve se aprimorar no idioma alemão e para falar com DEUS você deve se especializar em sua linguagem que é o AMOR, porque somente com AMOR voce falará com DEUS e sem AMOR toda tentativa de falar com DEUS não passará de trapo de imundice.”

SUA FÉ É REGIDA PELO AMOR OU É SÓ UM PUNHADO DE DOUTRINAS, PROIBIÇÕES (cf. Cl2:20-23) E RITUAIS SISTEMATIZADOS?

Quando tentamos mudar somente na parte exterior (legalismo) é como se fosse a seguinte situação:
Imaginamos um computador que deu pane e que quando ligamos e vemos que o Sistema Operacional não apareceu, ou algum periferico (“teclado, mouse, caixa de som, etc…”) não responde. A Primeira coisa que fazemos é trocar justamente o monitor e os perifericos e descobrimos que ainda não funcionou e tentamos mais algumas e se continuarmos assim nos frustaremos com certeza e só gastaremos tempo e dinheiro. Paulo parece ter compreendido isso em sua epístola aos Romanos:
“Antes eu vivia sem a Lei; mas, quando veio o mandamento, o pecado reviveu, e eu morri. O mandamento que devia dar a vida tornou-se para mim motivo de morte. Porque o pecado aproveitou a ocasião do mandamento, me seduziu e, através dele, me matou” [Rm7:9-11].
E aos Hebreus é dito que:
“Por isso, mesmo oferecendo sacrifícios continuamente, ano após ano, a Lei não tem poder de conduzir à perfeição aqueles que participam de tais sacrifícios. Caso contrário, será que não se teria parado de oferecer esses sacrifícios? De fato, os fiéis, purificados uma vez por todas, doravante não teriam mais nenhuma consciência dos pecados. Contudo, por meio desses sacrifícios, a lembrança dos pecados é renovada ano após ano, uma vez que é impossível eliminar os pecados com o sangue de touros e bodes” [Hb10:1-4].
Os sacrifícios antigos apenas serviam como paliativos – aliviando somente os sintomas – e não indo até a raiz do problema que esta no intimo e com isso aquilo que está no intimo fica reprimido e se retroalimentando provocando desequilibrios e enfermidades nos casos mais graves. E as leis do Evangelho não exigem praticas exteriores, mas apenas medidas interiores como perdão, amor ao proximo, parar de julgar, orar pelos inimigos, coisas que vão realmente até a raiz do problema dando cura, liberdade, consciencia da presença de Deus.
Agora, se formos seguir o espírito do Evangelho que é renovação interior a situação muda, pois ele é como uma pequena semente lançada no intimo da pessoa sendo como “O Reino do Céu é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado” [Mt13:33], ou como “O Reino do Céu é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E se torna uma árvore, de modo que os pássaros do céu vêm e fazem ninhos em seus ramos” [Mt13:31-32] agindo de onde o problema está – que é no coração, no íntimo da pessoa, como que no caso do computador seria ver o problema na CPU e na placa de BIOS (onde o problema realmente está) – e assim se elimina realmente a causa do problema em ambos os casos.
1. Uma fé que não tenha perdão e amor como pressupostos básicos pode do nada e de forma bem sutil virar mágica ou encantamento e você nem sequer perceber. Pois todo o relacionamento com Deus é na esfera do AMOR, pois DEUS É AMOR [cf. 1Jo4:8].
1.A. Esse isso pode dar consequencias desastrosas como por exemplo, fanatismo, cegueira espiritual, foi daí que Paulo teve a inspiração ao dizer que nao é maravilha que o inimigo se transfigura em anjo de luz e ministro da justiça [cf. 2Co11:14-15].
1.B. Nessa situação os aparatos humanos começarão a ficar acima do que realmente tem valor – que é o amor, perdão, misericórdia – e as coisas que serviriam para ajudar as pessoas em sua relação com Deus acabariam criando leis e estatutos que ferem a dignidade humana como o caso das expulsoes de esposas estrangeiras e filhos contraidos por esses casamentos sem mais nem menos ordenadas por Esdras após o exílio da Babiônia (cf. Esd9-10), – tudo isso em nome da tal “pureza doutrinária” e da “ortodoxia” – e provocando injustiças como abandonos e fome (“Para entender melhor esse drama leia o livro de Rute e com isso descobrirá que Davi e seu descendente Jesus possuem um pouco de sangue moabita não sendo daquilo que chamamos de ‘raça pura'”).
1.C. A Morte de Jesus tramada pelos fariseus e doutores da lei tambem tinha esse pressuposto, para o sumo-sacerdote as doutrinas e rituais valiam mais que a própria pessoa!
2. Já quando estamos em uma fé com amor e perdão como bases estamos seguros de que estamos nos dirigindo a Deus.
3. O Amor, o Perdão, a misericórdia são os unicos requisitos para um discipulo de Jesus e são as unicas coisas que importam no Reino. Tudo o que está fora disso é “outro evangelho”.
4. O Amor é Maior que a fé e que a esperança (cf. 1Co13:13), como se fosse uma locomotiva deles.
5. O Amor (“tanto a Deus como ao próximo pois ambos estão interligados”) é a linguagem de Deus sendo que é a unica garantia de que estamos de fato fazendo a vontade de Deus. Como diz São Marcos:
“Um doutor da Lei estava aí, e ouviu a discussão. Vendo que Jesus tinha respondido bem, aproximou-se dele e perguntou: ‘Qual é o primeiro de todos os mandamentos?’ Jesus respondeu: ‘O primeiro mandamento é este: Ouça, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor! E ame ao Senhor seu Deus com todo o seu coração, com toda a sua alma, com todo o seu entendimento e com toda a sua força. O segundo mandamento é este: Ame ao seu próximo como a si mesmo. Não existe outro mandamento mais importante do que esses dois.’
O doutor da Lei disse a Jesus: ‘Muito bem, Mestre! Como disseste, ele é, na verdade, o único Deus, e não existe outro além dele. E amá-lo de todo o coração, de toda a mente, e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo, é melhor do que todos os holocaustos e do que todos os sacrifícios.’ Jesus viu que o doutor da Lei tinha respondido com inteligência, e disse: ‘Você não está longe do Reino de Deus.’ E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus” [Mc12:28-34].

“Enquanto eu viver, louvarei Iahweh [=Deus],
tocarei ao meu Deus, enquanto existir! (…)
Ele mantém para sempre a verdade:
fazendo justiça aos oprimidos,
dando pão aos famintos;
Iahweh liberta os prisioneiros,
Iahweh abre os olhos dos cegos,
Iahweh protege o estrangeiro,
sustenta o órfão e a viúva;
Iahweh reina para sempre,
teu Deus, ó Sião, de geração em geração!
Aleluia!”
(Salmo 146:2,6-10)

NELE, QUE É A ENCARNAÇÃO DIVINA DO VERBO AMAR…

Aqui, Um Texto do Pastor Márcio Rosa (Igreja Betesda-RR) Sobre o assunto para refletir tambem:
Se todas as pessoas que declaram cristãs tentassem viver imitando o estilo de vida que Jesus teve quando andou entre nós, o mundo já teria se transformado num paraíso. O cárater de Jesus é revolucionário e suas virtudes transformadoras.
O problema é que há pessoas que vivem num ambiente religioso mas nunca experimentaram qualquer transformação. São rudes, cruéis, grosseiras, maldosas, maledicentes, egoístas, arrogantes, mesmo ostentando o título de cristão, evangélico, católico ou coisa parecida. Implacáveis no cumprimento de regramentos religiosos vazios, mas sem qualquer misericórdia com a dor humana. Preferem uma religiosidade cosmética destrutiva e opressora a uma proposta que traga vida plena, que é o que propõe o Reino de Deus.
Quem diz que ama a Deus, tem de tentar imitá-lo, tentar viver conforme os valores e o caráter de Deus. Dizer que ama a Deus e não ter um caráter transformado é uma farsa, uma mentira. Não é à toa que Jesus fala da necessidade de um novo nascimento, que é, depois de uma experiência de conversão, ter um novo coração, uma nova mente, uma nova concepção do mundo e do Reino de Deus. Em outras palavras, ser uma pessoa diferente, que mudou para melhor.
Então, caro leitor, quero convidá-lo a uma reflexão, e para tanto gostaria que você respondesse às seguintes questões: Sua fé, seu cristianismo, tem feito de você uma pessoa melhor? Será que realmente você é nascido de Deus? Se é nascido de Deus, em que criatura você se transformou? Em que tipo de pessoa você se transformou?
Todo o tempo que você tem professado sua fé, todo o tempo em que você tem ido à igreja, lido a bíblia, levantado as mãos em louvor a Deus, tudo isso transformou você em que tipo de pessoa?
Você é hoje uma pessoa mais amável do que era antes? É uma pessoa mais verdadeira do que era antes? É mais constante? É mais amoroso, misericordioso e cheio de compaixão? É mais compreensivo com os erros e inconstâncias dos outros?
Tiago e João eram dois discípulos de Jesus, que conviviam com ele o tempo todo. Entretanto, quando foram rejeitados pelos samaritanos, pediram autorização de Jesus para orar e fazer cair fogo do céu para consumí-los. Jesus os repreendeu duramente, dizendo que ele tinha vindo para salvar as pessoas e não para destruí-las. Ora, eles estavam cansados de ouvir Jesus, mas ainda não tinham se convertido a verdadeiros discípulos de Jesus. Tinham um coração cheio de vingança, ódio, orgulho e soberba. Tinham fé suficiente para fazer cair fogo do céu, mas ainda não eram imitadores de Jesus.
E você, será que é uma pessoa mais educada, mais polida, mais doce, mais gentil do que antes de tornar um cristão?
O evangelho, tal qual anunciado por Jesus, deve produzir pessoas mais bonitas em seu caráter, mais educadas, íntegras, mais polidas, mais amáveis, doces e misericordiosas, cheias de graça e de bondade. E isso em todas as dimensões da vida, em casa, no trabalho, na igreja, na rua, no trânsito, em tudo.
E então, a fé que você professa tem feito de você uma pessoa melhor? Se não, está na hora de voltar-se para Jesus e sua mensagem, ansiando por transformação e novo nascimento.
Márcio Rosa da Silva
http://marciorosa.wordpress.com/2008/08/30/sua-fe-tem-feito-de-voce-uma-pessoa-melhor/

Pergunta (deixe a resposta no comentário):
1) O Que DEUS É para você?
2) Desde que aderiu a fé, os frutos do espírito (cf. Gl5:22, em especial o AMOR) tem ficado mais fortes em você?
3) Todo o tempo que você tem professado sua fé, todo o tempo em que você tem ido à igreja, lido a bíblia, levantado as mãos em louvor a Deus, tudo isso transformou você em que tipo de pessoa?
Você é hoje uma pessoa mais amável do que era antes? É uma pessoa mais verdadeira do que era antes? É mais constante? É mais amoroso, misericordioso e cheio de compaixão? É mais compreensivo com os erros e inconstâncias dos outros?

Sobre Misericórdia e Julgamento

“Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão” (Mateus 7:1-5).

Quando julgamos os outros, julgamos a nós mesmos.
Pois julgamos os outros de acordo com o que há dentro de nós.
Essa é uma verdade de natureza espiritual e psicologica
“A projeção faz a percepção. O mundo que vês é o que deste ao mundo, nada mais do que isso” [UCEM-T-21.1:1-2].
Quem ve maledicencia nos outros e condena, no fundo se auto-condena.
E esse juízo nao tarda em vir como desespero, culpa, desamor.
E esse tipo de atitude julgadora nos afasta de Deus, podendo nos cegar espiritualmente por algum tempo. Pois pecado não é somente certos atos, gostos, vestimenta e coisas como ouvir rock, jogar baralho, divorcio; mas sim, algo que vem de dentro de nós.
“O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem” [Mt15:11].
E continua:
“Ainda não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre, e é lançado fora? Mas, o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem; mas comer sem lavar as mãos, isso não contamina o homem” [Mt15:17-20].
E ainda mais:
“O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca” [Lc6:45].
Portanto a pessoa há de manifestar o que há em seu interior em suas conversas, atos, julgamentos.
Um interior contaminado por falta de perdão leva a pessoa ao farisaismo, justiça propria usando dogmas e fundamentalismo e leis de moral pra se defender e acusar os outros, nunca aceitando a versão do outro.
UMA ANÁLISE DA LIÇÃO 68 DE UM CURSO EM MILAGRES
“Tu, que foste criado pelo Amor como Ele Mesmo, não podes guardar mágoas e conhecer o teu Ser. Guardar uma só mágoa é esquecer quem és. Guardar uma mágoa é ver a ti mesmo como um corpo. Guardar uma mágoa é deixar que o ego domine a tua mente e condenar o corpo à morte. Talvez ainda não reconheças interiormente o que guardar mágoas faz com a tua mente. parece dividir-te, afastando-te da tua Fonte e fazendo com que não sejas como Ela. Isso faz com que acredites que a tua Fonte é como o que pensas que passaste a ser, pois ninguém pode conceber que o seu Criador não seja como ele mesmo” [UCEM-E-pI.68.1].
O Profeta Isaías também diz que o pecado nos afasta de Deus:
“Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue, e os vossos dedos de iniqüidade; os vossos lábios falam falsidade, a vossa língua pronuncia perversidade. Ninguém há que clame pela justiça, nem ninguém que compareça em juízo pela verdade; confiam na vaidade, e falam mentiras; concebem o mal, e dão à luz a iniqüidade” [Is59:2-4].
Aqui o Profeta também vê o pecado como intenções maldosas e julgamentos e isso com certeza nos afasta de Deus pois cria em nós uma muralha que obscurece sua voz deixando-nos na companhia do ego, da culpa e do medo.
“Excluído do teu Ser, Que permanece ciente da Sua semelhança com o Seu Criador, o teu Ser parece dormir, enquanto a parte da tua mente que tece ilusões em seu sono parece estar desperta. Guardar mágoas pode causar tudo isso? Pode, sim! Pois aquele que guarda mágoas nega que foi criado pelo Amor e, no seu sonho de ódio, o seu Criador passa a ser amedrontador para ele. Quem pode sonhar com o ódio e não ter medo de Deus?
É tão garantido que aqueles que guardam mágoas redefinirão Deus à sua própria imagem, quanto é garantido que Deus os criou como Ele Mesmo e os definiu como parte de Si. É tão garantido que aqueles que guardam mágoas sofrerão culpa, quanto é garantido que aqueles que perdoam acharão a paz. É tão garantido que aqueles que guardam mágoas esquecerão quem são, quanto é certo que aqueles que perdoam se lembrarão”
[E-pI.68.2-3].
Aquele que não tem misericórdia, mas que só condena os outros está indo automaticamente pro inferno do sofrimento, da angustia, da culpa, do medo e com isso redefinirá Deus para continuar onde está.
É daí que surge a imagem do “deus irado”(com minuscula mesmo, pois não é o verdadeiro Deus que é AMOR) pra justificar a mentalidade da pessoa em não perdoar.
Essa pessoa começará a falar mal de outras pessoas, grupos que pensam diferente delas para poderem se justificar e sentirem um certo e passageiro alívio.
A PARÁBOLA DO SERVO DEVEDOR
“Por isso o reino dos céus pode comparar-se a um certo rei que quis fazer contas com os seus servos; E, começando a fazer contas, foi-lhe apresentado um que lhe devia dez mil talentos; E, não tendo ele com que pagar, o seu senhor mandou que ele, e sua mulher e seus filhos fossem vendidos, com tudo quanto tinha, para que a dívida se lhe pagasse. Então aquele servo, prostrando-se, o reverenciava, dizendo: Senhor, sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Então o senhor daquele servo, movido de íntima compaixão, soltou-o e perdoou-lhe a dívida. Saindo, porém, aquele servo, encontrou um dos seus conservos, que lhe devia cem dinheiros, e, lançando mão dele, sufocava-o, dizendo: Paga-me o que me deves. Então o seu companheiro, prostrando-se a seus pés, rogava-lhe, dizendo: Sê generoso para comigo, e tudo te pagarei. Ele, porém, não quis, antes foi encerrá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Vendo, pois, os seus conservos o que acontecia, contristaram-se muito, e foram declarar ao seu senhor tudo o que se passara. Então o seu senhor, chamando-o à sua presença, disse-lhe: Servo malvado, perdoei-te toda aquela dívida, porque me suplicaste. Não devias tu, igualmente, ter compaixão do teu companheiro, como eu também tive misericórdia de ti? E, indignado, o seu senhor o entregou aos atormentadores, até que pagasse tudo o que devia.
Assim vos fará, também, meu Pai celestial, se do coração não perdoardes, cada um a seu irmão, as suas ofensas”
[Mt18:23-35].
O Rei aqui é Deus, que não nos trata segundo nossos pecados(= intenções internas) e sim sempre com AMOR, Misericórdia.
Os verdugos são nossa culpa, medo que sempre vem na medida em que não perdoamos e não agimos com misericórdia. Principalmente se não perdoarmos as pessoas tudo que julgamos nelas, que na verdade esta em nós começa a se manifestar como angustia, medo, ansiedade, doenças, etc.
O Inferno não é um lugar no espaço-tempo e sim um estado de espirito criada pela pessoa amarga.
“A mente que não perdoa é cheia de medo e não oferece espaço ao amor para ser ele mesmo, nenhum lugar onde ele possa estender as suas asas em paz e elevar-se acima do tumulto do mundo. A mente que não perdoa é triste, sem esperança de descanso e de liberar-se da dor. Ela sofre e habita na miséria, espreitando a escuridão sem ver, mas certa do perigo que lá a ronda.
A mente que não perdoa é dilacerada pela dúvida, confusa a respeito de si mesma e de tudo o que vê; medrosa e com raiva, fraca e ameaçadora, com medo de seguir adiante, com medo de ficar; com medo de acordar ou de adormecer ,com medo de qualquer som, todavia com mais medo ainda do silêncio; aterrorizada pela escuridão e no entanto mais aterrorizada ainda com a aproximação da luz. O que pode a mente que não perdoa perceber, senão a sua própria perdição? O que pode a mente que não perdoa perceber, senão a sua própria perdição? O que pode contemplar, senão a prova de que todos os seus pecados são reais?
A mente que não perdoa não vê equívocos, só pecados. Olha para o mundo com olhos que não vêem e grita ao ver as suas próprias projeções erguerem-se para atacar a sua miserável paródia de vida. ela quer viver, mas deseja estar morta. Quer o perdão, mas não vê esperança alguma. Quer escapar, mas não pode conceber nenhuma saída, porque vê o pecado em toda parte.
A mente que não perdoa está em desespero, sem a perspectiva de um futuro que possa lhe oferecer alguma coisa que não seja mais desespero. No entanto, considera o seu julgamento do mundo como irreversível e não vê que ela própria se condenou a esse desespero. Pensa que não pode mudar, pois o que vê dá testemunho de que o seu julgamento é correto. Não pergunta, porque pensa que sabe. Não questiona, pois tem certeza de que está certa” [UCEM-E-pI.121.2-5].
“A candeia do corpo são os olhos; de sorte que, se os teus olhos forem bons, todo o teu corpo terá luz; Se, porém, os teus olhos forem maus, o teu corpo será tenebroso. Se, portanto, a luz que em ti há são trevas, quão grandes serão tais trevas” [Mt5:22-23]!
“Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis; antes o seu entendimento e consciência estão contaminados. Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda a boa obra” [Tt1:15-16].
E isso é verdade mesmo! Minha experiência confirma isso. Em 2007 tive uma namorada, namoramos por ±3 meses, mas o namoro nao deu certo devido a incompatibilidades, daí separamos, depois de alguns meses ela descobriu que engravidou e eu depois da noticia fiquei bravo com ela e alguns meses depois comecei a me sentir depressivo e desanimado. Com isso eu nao sentia motivação pra nada e me sentia muito “pesado” e só remoendo raiva contra ela, contra todos, incluindo Deus que eu julgava nao ter sido generoso comigo. E isso estava somatizando em mim uma dor nas costas que eu tinha dificuldades de levantar.
Minha dor interna era tanta que eu hoje comparo quando o rei Manassés estava preso na Assíria [abra sua Bíblia em 2 Crônicas 33 e leia com atenção], só que no meu caso os ‘ganchos’ eram a culpa e a raiva me corroendo e eu nao sabia o que fazer e eu queria sair daquele INFERNO HORROROSO e numa oração disse que tinha que haver um outro jeito.
Então depois de uns dias comecei a ter um pensamento que vinha silenciosamente principalmente quando eu estava navegando na internet que dizia “Pesquise sobre UM CURSO EM MILAGRES” enquanto uma parte de mim tentava abafar outra dizia silenciosamente “vai lá”.
Depois de muito tempo nessa queda de braço eu cedi e fui ver que negócio era esse. Pesquisei nas comunidades do Orkut a palavra Um Curso Em Milagres e entrei na comunidade com mais membros e comecei a ler os topicos e a medida que ia lendo eu sentia que ali estava minha rota pra sair daquilo e comecei a sentir que Deus começou a se tornar favoravel para comigo. daí comecei a me sentir mais leve e a aplicação do perdão tem me ajudado muito, em todos os aspectos da minha vida, inclusive me dando chaves pra ver a Bíblia de forma espiritual e saber que Deus é amor que Ele esta sempre com nós.

Tentação De Jesus No Deserto, Paulo, “Escritura X Palavra”, “Forma X Conteúdo”

Muitas pessoas cristãs e sinceras estão acostumadas e até mesmo condicionadas a acharem que a Bíblia (no nível da letra) é a “PALAVRA DE DEUS”. Mas se formos analisar essa objeção mais profundamente veremos que a própria Bíblia (que eu considero como Escritura e muito importante) nos dá alguns eventos que nos fazem questionar.
Começaremos pela tentação de Jesus no Deserto e no Pináculo do Templo por Satanás antes de começar seu ministério como é narrado a seguir:

“Então Jesus foi levado pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. Depois de jejuar quarenta dias e quarenta noites, teve fome. O tentador aproximou-se dele e disse: “Se você é o Filho de Deus, mande que estas pedras se transformem em pães”. Jesus respondeu: “Está escrito: ‘Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus'”. Então o diabo o levou à cidade santa, colocou-o na parte mais alta do templo e lhe disse: “Se você é o Filho de Deus, jogue-se daqui para baixo. Pois está escrito: ‘Ele dará ordens a seus anjos a seu respeito, e com as mãos eles o segurarão, para que você não tropece em alguma pedra'”. Jesus lhe respondeu: “Também está escrito: ‘Não ponha à prova o Senhor, o seu Deus'”. Depois, o diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do mundo e o seu esplendor. E lhe disse: “Tudo isto lhe darei, se você se prostrar e me adorar”. Jesus lhe disse: “Retire-se, Satanás! Pois está escrito: ‘Adore o Senhor, o seu Deus e só a ele preste culto'”. Então o diabo o deixou, e anjos vieram e o serviram” (Mt4:1-11).

O mais interessante nesse episódio é que Satan cita das Escrituras um trecho do Salmo 91 (cf. Sl91:11,12), um dos mais lidos pelos cristãos (sejam eles católicos, ortodoxos, protestantes e até mesmo espíritas) para pedirem proteção e que muitas pessoas até mesmo imprimem cópias e deixam em suas bolsas, mochilas, carteiras, carros, etc.. E também nós cristãos aprendemos muito, seja no culto, na Escola Dominical, visitas de pastores nas casas que a “Palavra De Deus é a Espada Do Espírito” (cf. Ef6:10-12).
Se a Escritura é em si mesmo de forma literal a Espada Do Espírito como pôde Satan ter chegado perto dela, ter lido, saído vivo e ainda por cima citar versículos para tentar a Jesus Cristo no deserto? Mas aí tem alguma coisa que muitos esquecem, que é a sentença de Paulo na Segunda epístola à Igreja de Corinto:

“Ele nos capacitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, mas o Espírito vivifica” (2Co3:6).

Paulo era um fariseu antes de sua conversão e como fariseu ele conhecia e estudava muito a Escritura (que compreende boa parte do nosso Antigo testamento), mas não conhecia a Palavra vivia e eficaz (cf. Hb4:12), tanto que apesar de sua erudição na escritura (principalmente no que diz a Lei) ele perseguia ferozmente a Igreja de Cristo. Podemos dizer aqui que Paulo antes de sua conversão conhecia tudo da letra da Escritura mas nao tinha uma espiritualidade e sim uma vida baseada somente nos formalismos da Lei. Apenas depois de sua viagem a Damasco onde Jesus aparece para ele perguntando “Saulo, Saulo, porque me persegues?” é que ele passa a compreender a Palavra Da Verdade. Paulo tambem passa a perceber que a Palavra não é meramente um livro, mas sim algo interior que começa a crescer em nós causando transformação, tanto que para os Gálatas ele afirma que não é mais ele quem vive mas Cristo que vive nele (cf. Gl2:20), e para a comunidade de Corinto ele afirma: “Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos” (1Co6:19)?
Paulo faz mais afirmações desse tipo depois que se torna “O Apóstolo Dos Gentios” após sua conversão. Veremos algumas:

“Entretanto, falamos de sabedoria entre os maduros, mas não da sabedoria desta era ou dos poderosos desta era, que estão sendo reduzidos a nada. Pelo contrário, falamos da sabedoria de Deus, do mistério que estava oculto, o qual Deus preordenou, antes do princípio das eras, para a nossa glória. Nenhum dos poderosos desta era o entendeu, pois, se o tivessem entendido, não teriam crucificado o Senhor da glória. Todavia, como está escrito: “Olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam”; mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito. O Espírito sonda todas as coisas, até mesmo as coisas mais profundas de Deus. Pois, quem dentre os homens conhece as coisas do homem, a não ser o espírito do homem que nele está? Da mesma forma, ninguém conhece as coisas de Deus, a não ser o Espírito de Deus. Nós, porém, não recebemos o espírito do mundo, mas o Espírito procedente de Deus, para que entendamos as coisas que Deus nos tem dado gratuitamente. Delas também falamos, não com palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas com palavras ensinadas pelo Espírito, interpretando verdades espirituais para os que são espirituais. Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente. Mas quem é espiritual discerne todas as coisas, e ele mesmo por ninguém é discernido; pois “quem conheceu a mente do Senhor para que possa instruí-lo? ” Nós, porém, temos a mente de Cristo” (1Co2:6-16).

“Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito, para que Cristo habite em seus corações mediante a fé; e oro para que vocês, arraigados e alicerçados em amor, possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus” (Ef3:16-19).

Jesus também diz algo parecido no Evangelho de João:

“Quem beber desta água terá sede outra vez, mas quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede. Pelo contrário, a água que eu lhe der se tornará nele uma fonte de água a jorrar para a vida eterna” (Jo4:13-14).

“O Espírito dá vida; a carne não produz nada que se aproveite. As palavras que eu lhes disse são espírito e vida” (Jo6:63).

Portanto, Palavra De Deus na verdade significa “Verbo” e é algo vivo que sempre se movimenta, transforma, principalmente o interior da pessoa através da metanóia (que significa uma conversao progressiva procurando trocar os valores da carne pelos do Espirito).
Paulo diferencia os frutos do espirito dos da carne em sua Epistola aos Gálatas:

Frutos da carne:
“Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes” (Gl5:19-21).

Frutos do Espírito:
“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio” (Gl5:22,23).

Portanto, devemos tratar a Bíblia como um livro Espiritual (onde cada historia principalmente no Velho Testamento tem uma lição subjacente em um nivel alem do literal), nunca lendo de forma literal (principalmente o Velho Tetamento). Devemos usar Cristo (seus ensinos e seu modo de atuação) como referência principal.
Se formos interpretar a Bíblia totalmente de forma literal, como se tudo fosse um Ditado por Deus, iríamos encontrar brechas para absurdos como racismo (muito comum no Século XX nos EUA principalmente nos estados do Sul, onde se dizia que negros eram amaldiçoados), guerras santas e inquisições com torturas, como na Idade Media na Europa (tanto do lado Católico como do lado Protestante), dentre outras coisas. Sendo que ira, discordia, facções estão entre os frutos da carne.
O Principal fruto do espirito é o AMOR: “Toda a lei se resume num só mandamento: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo'” (Gl5:14;cf. Rm13:8-10).

“Um deles, perito na lei, o pôs à prova com esta pergunta: ‘Mestre, qual é o maior mandamento da Lei?’
Respondeu Jesus: ‘Ame o Senhor, o seu Deus de todo o seu coração, de toda a sua alma e de todo o seu entendimento’. Este é o primeiro e maior mandamento. E o segundo é semelhante a ele: ‘Ame o seu próximo como a si mesmo’. Destes dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas (Mt22:35-40).

“Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine. Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei. Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me valerá.
O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca perece; mas as profecias desaparecerão, as línguas cessarão, o conhecimento passará. Pois em parte conhecemos e em parte profetizamos; quando, porém, vier o que é perfeito, o que é imperfeito desaparecerá. Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino.Agora, pois, vemos apenas um reflexo obscuro, como em espelho; mas, então, veremos face a face. Agora conheço em parte; então, conhecerei plenamente, da mesma forma como sou plenamente conhecido.
Assim, permanecem agora estes três: a fé, a esperança e o amor. O maior deles, porém, é o amor (1Co13).

Portanto, a Escritura se transforma em Palavra Viva quando se tornam vivificadas no interior da pessoa ferando frutos de amor e serviço abnegado ao próximo gerando frutos de perdão, paciencia, pois se nada disso acontecer, não passa de letra morta (como era com Paulo antes de sua conversão a Cristo).