MATURIDADE

Pe. Fábio de Melo

A maturidade nos faz perceber que não podemos mudar os fatos.
A maturidade faz parte de um processo. Em um processo não podemos queimar etapas. Ele é lento, chato e demorado. Uma criança passa por um momento de amadurecimento a partir do momento que começa a brincar. A maturidade acontece quando tomamos posse do que nós somos, para aí então poder nos dividir com os outros. Isso faz parte do processo de maturidade.
Não nascemos amando, pelo contrário, queremos ter a posse dos outros. Essa é a forma de amar da criança, pois ela não consegue pensar de maneira diferente. Ela não consegue entender que o outro não é ela. Quantas pessoas já adultas pensam assim, trata-se da incapacidade de amar, falta de maturidade.
Todos os encontros de Jesus levam a implantação do Reino de Deus. Mas só pode implantar esse reino quem é adulto, que já entende que só se começa a amar a partir do momento que eu não quero mudar quem eu amo.
Geralmente, quando tememos alguém ruim ao nosso lado, é porque nos reconhecemos naquela pessoa. Jesus não tinha o que temer porque era puramente bom, por isso contagiava os que estavam ao seu lado. Na maturidade de Jesus você encontra a capacidade imensa de amar o outro como ele é. Amar significa: amar o outro como ele é. Por isso, quando falamos em amar os outros, podemos perceber o quanto deixamos de ser crianças. Devemos nos questionar a todo o momento quanto a nossa maturidade. A santidade começa na autenticidade.
Por isso, Jesus nos pede para ser como as crianças, que são verdadeiras e simples. É nisso que devemos manter da nossa infância e não a forma de possuir as coisas para si.
Você tem condições para perceber a sua maturidade. É só observar se você é obediente mesmo quando não há pessoas ao seu redor. Você não precisa que ninguém te observe, pois você já viu aquilo como um valor. Pessoas imaturas sofrem dobrado. Pessoas imaturas querem modificar os fatos, pessoas maduras deixam que os fatos os modifiquem. A maturidade nos faz perceber que não podemos mudar os fatos. Um imaturo ganha um limão e o chupa fazendo careta. O maduro faz uma limonada com o limão que ganhou. Muitas vezes os nossos relacionamentos de amizade são uns fracassos porque somos imaturos. Amigos não são o que imaginamos – mas são o que eles são, e com todos os defeitos.
Amizade é processo de maturidade que nos leva ao verdadeiro encontro com as pessoas que estão ao nosso lado. Elas têm todos os defeitos, mas fazem parte da nossa vida e não a trocamos por nada deste mundo. Isso porque temos alma de cristão e aquele que tem alma de cristão não tem medo dos defeitos dos outros, porque sabe que aqueles defeitos não serão espelhos para nós, mas seremos um instrumento de Deus para ele superar esse defeito. Padre só pode ser padre a partir do momento que é apaixonado pelos calvários da humanidade. Se você não consegue lidar com os limites dos outros, é porque você não consegue lidar com os seus limites.
A rejeição é um processo de ver-se. Toda vez que eu quero buscar no outro o que me falta, eu o torno um objeto. Eu posso até admirar no outro o que eu não tenho em mim, mas eu não tenho o direito de fazer do outro uma representação daquilo que me falta. Isso não é amor, isso é coisa de criança. O anonimato é um perigo para nós. É sempre bom que estejamos com pessoas que saibam quem somos nós e que decisões nós tomamos na vida. É sempre bom estarmos em um lugar que nos proteja. Amar alguém é viver o exercício constante, de não querer fazer do outro o que a gente gostaria que ele fosse. A experiência de amar e ser amado é acima de tudo a experiência do respeito.
Como está a nossa capacidade de amar? Uma coisa é amar por necessidade e outra é amar por valor. Amar por necessidade é querer sempre que o outro seja o que você quer. Amar por valor é amar o outro como ele é, quando ele não tem mais nada a oferecer, quando ele é um inútil e por isso você o ama tanto. Na hora que forem embora as suas utilidade, você vai saber o quanto é amado. Tudo vai ser perdido, só espero que você não se perca. Enquanto você não se perder de si mesmo você será amado, pois o que você é significa muito mais do que você faz. O convite da vida cristã é esse: que você possa ser mais do que você faz!”

VIA TEMPLO DOS ILUMINADOS

SERMÃO DA MONTANHA (Pietro Ubaldi)

SERMÃO DA MONTANHA

Bem-aventurados os soberbos, porque eles terão de sofrer tantas humilhações até aprenderem a lição da humildade e, assim, deles será o reino dos céus.
Bem-aventurados os que gozam demais, só pensando em si e além dos limites razoáveis, porque terão de sofrer necessidade e abandono, até aprenderem a regra da justa medida e do amor ao próximo e, então, serão consolados.
Bem-aventurados os prepotentes, os ferozes, os guerreiros, porque tanto serão esmagados pela prepotência, ferocidade e agressão dos outros, que se tornarão mansos e, desse modo, herdarão a terra.
Bem-aventurados os que sustentam e praticam a injustiça, porque tanta injustiça terão de receber que compreenderão quão duro é ter de estar submetido a ela, que, por terem aprendido à sua custa, terminam por ambicionar a justiça e desta serão fartos.
Bem-aventurados os desapiedados, porque não encontrarão misericórdia e, por demais a invocarem para si sem recebê-la, compreenderão a necessidade da bondade e do perdão, alcançando assim, a misericórdia.
Bem-aventurados os que não são limpos de coração, porque ficarão tão submersos na ignorância e na maldade, com os conseqüentes erros e dores, que purificarão seu entendimento e, por isso, compreenderão a lei e verão a Deus.
Bem-aventurados os que gostam de brigas e disputas, porque pelo fato de não conseguirem encontrar a paz, almejá-la-ão e procurá-la-ão em toda a parte, até que se tornarão pacificadores, quando serão chamados filhos de Deus.
Bem-aventurados os que perseguem com injustiça os justos, porque tanto serão perseguidos pela sua própria injustiça, que aprenderão a ser justos, e então deles será o reino dos céus…
Exultai, e alegrai-vos todos vós que quereis rebelar-vos contra a Lei Divina, porque grande é o sofrimento que vos espera e assim aprendereis a lição da obediência, pela qual ganhareis um grande tesouro nos céus.
Meus filhos, por quanto tempo continuarão sem compreender tudo isso?
Quantos erros terão ainda de cometerem e quantas dores terão de sofrer, antes de abrir os olhos para ver a essência da vida?
Continuarão a rebelar-vos contra a lei, a fechar-se no seu egoísmo e a conceber a vida só individualmente?
Quantas experiências dolorosas serão ainda necessárias para se aprender a não provocar as reações da lei?
Quando resolverá o homem, vítima do seu atraso, avançar para a conquista aos novos continentes do espírito, que o esperam?
Quando conseguirá ele, preso na sua forma mental, quebrar as paredes dessa prisão?
Quando irão querer resolver de uma vez e para sempre todos os seus problemas, evoluindo?
Tudo depende de boa vontade e do próprio esforço.
E hoje meus queridos, quero lhes convidar para um momento de reflexão em tudo isso que lhes digo. E que mais uma vez essa semente que lanço em vossos corações possa encontrar solo fértil para germinar e dar bons frutos.
Pois exatamente para serem felizes é que vocês foram criados. Só que para ser, antes vocês devem querer e buscar esta felicidade.

Paz e amor.
(PIETRO UBALDI)