SALMO 24 (23)

O Rei da glória

Salmo. De Davi.
A Javé pertence a terra e tudo o que ela contém, o mundo e os que nele habitam.
Ele próprio fundou-a sobre os mares e firmou-a sobre os rios.
– Quem pode subir à montanha de Javé? Quem pode estar no seu lugar santo?
– Aquele que tem mãos inocentes e coração puro,
que não confia nos ídolos, nem faz juramento para enganar.
Esse receberá a bênção de Javé, e do seu Deus salvador receberá a justiça.
– Essa é a geração dos que procuram Javé, dos que buscam tua face, ó Deus de Jacó.
Portas, levantem seus frontões; elevem-se, portais antigos, pois vai entrar o Rei da glória!
– Quem é esse Rei da glória?
– É Javé, o herói valoroso! É Javé, o herói das guerras!
Portas, levantem seus frontões; elevem-se, portais antigos, pois vai entrar o Rei da glória!
– Quem é esse Rei da glória?
– É Javé dos Exércitos! Ele é o Rei da glória!

SALMO 23 (22)

Deus hospeda o perseguido

Salmo. De Davi.
Javé é o meu pastor. Nada me falta.
Em verdes pastagens me faz repousar; para fontes tranqüilas me conduz,
e restaura minhas forças.
Ele me guia por bons caminhos, por causa do seu nome.
Embora eu caminhe por um vale tenebroso, nenhum mal temerei, pois junto a mim estás; teu bastão e teu cajado me deixam tranqüilo.
Diante de mim preparas a mesa, à frente dos meus opressores;
unges minha cabeça com óleo, e minha taça transborda.
Sim, felicidade e amor me acompanham todos os dias da minha vida.
Minha morada é a casa de Javé, por dias sem fim.

SALMO 22 (21)

Deus ouve o clamor do pobre

Do mestre de canto. Sobre “A corça da manhã”. Salmo. De Davi.
Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? Apesar de meus gritos, minha prece não te alcança!
De dia eu grito, meu Deus, e não me respondes. Grito de noite, e não fazes caso de mim!
E tu habitas no santuário, onde Israel te louva!
Nossos antepassados confiavam em ti; confiavam, e tu os salvavas;
gritavam a ti, e ficavam livres, confiavam em ti, e não se desapontaram.
Quanto a mim, eu sou verme, e não homem, riso dos homens e desprezo do povo.
Todos os que me vêem zombam de mim, abrem a boca e balançam a cabeça:
“Ele recorreu a Javé… Pois que Javé o salve! Que o liberte, se é que o ama de fato!”
És tu quem me tirou do ventre e me confiou aos peitos da minha mãe.
Fui entregue a ti desde o nascimento, desde o ventre materno tu és o meu Deus.
Não fiques longe de mim, que a angústia está perto, e não há ninguém para me socorrer.
Cercam-me touros numerosos, touros fortes de Basã me rodeiam.
Contra mim escancaram a boca os leões que dilaceram e rugem.
Estou como água derramada, e meus ossos todos se desconjuntam.
Meu coração está como cera, derretendo-se dentro de mim.
Minha força secou como argila, e minha língua colou-se ao maxilar. Tu me colocas na poeira da morte.
Cães numerosos me rodeiam, e um bando de malfeitores me envolve,
furando minhas mãos e meus pés.
Posso contar todos os meus ossos.
As pessoas me observam e me encaram,
entre si repartem minhas vestes, e sorteiam a minha túnica.
Tu, porém, Javé, não fiques longe! Força minha, vem socorrer-me depressa!
Salva meu pescoço da espada, e a minha pessoa, das patas do cão!
Arranca-me da goela do leão, faze-me triunfar dos chifres do búfalo!
Vou contar tua fama aos meus irmãos, vou louvar-te no meio da assembléia:
“Vocês que temem a Javé, louvem a Javé! Glorifique-o, descendência toda de Jacó! Tema-o, descendência toda de Israel!”
Sim, porque ele não desprezou, não desdenhou a desgraça do pobre,
nem lhe ocultou a sua face: quando gritou por socorro, ele o escutou.
De ti vem o meu louvor na grande assembléia. Cumprirei meus votos na presença dos que o temem.
Os pobres comerão e ficarão saciados, louvarão a Javé aqueles que o buscam: «Que o coração de vocês viva para sempre!»
Todos os confins da terra se lembrarão, e voltarão para Javé.
Todas as famílias das nações se prostrarão na presença dele.
Pois a realeza pertence a Javé, é ele quem governa as nações.
Diante dele se prostrarão as cinzas da tumba, diante dele se curvarão os que descem ao pó.
Javé me fará viver para ele, minha descendência o servirá, falará do Senhor para a geração futura,
contará a justiça dele ao povo que vai nascer: tudo o que o Senhor realizou!

SALMO 21 (20)

A vitória é de Deus

Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
Javé, o rei se alegra com tua força, e como exulta com tua vitória!
Concedeste o desejo do seu coração, e não lhe negaste o pedido de seus lábios.
Pois tu o precedeste com grandes bênçãos, colocaste uma coroa de ouro em sua cabeça.
Ele te pediu vida, e tu a concedeste, dias sem fim, para sempre e eternamente.
Tua vitória engrandeceu a fama dele, tu o vestiste com honra e esplendor.
Sim, tu o estabeleces como bênção para sempre, e, com tua presença, o enches de alegria.
Sim, o rei confia em Javé, e jamais vacilará com o amor do Altíssimo.
Tua mão alcançará teus inimigos todos, tua direita encontrará teus adversários.
Ateia fogo neles como a um forno, no dia em que te manifestares.
Javé os engolirá com sua ira, e um fogo os devorará.
Extirparás da terra sua posteridade, e sua descendência dentre os homens.
Ainda que pretendam o mal contra ti e façam planos, nada irão conseguir.
Pois tu os afugentarás, mirando a face deles com teu arco.
Levanta-te, Javé, com tua força! Nós vamos cantar e tocar ao teu poder.

SALMO 20 (19)

A segurança da nação

Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
Que Javé lhe responda no dia da angústia, que o nome do Deus de Jacó o proteja!
Que do santuário ele mande socorro para você, e o apóie desde Sião!
Que ele se lembre de suas ofertas todas, e aprecie o seu holocausto!
Que lhe dê tudo o que o seu coração deseja, e realize todos os seus projetos!
Possamos alegrar-nos com a sua vitória, e hastear a bandeira em nome do nosso Deus! Que Javé realize todos os seus pedidos!
Agora reconheço que Javé dá a vitória ao seu ungido, e lhe responde do seu templo celeste com os prodígios de sua mão vitoriosa.
Uns confiam em carros, outros em cavalos; quanto a nós, invocamos o nome de Javé nosso Deus.
Eles se curvam e caem; nós nos mantemos de pé.
Javé, dá a vitória ao rei, e responde para nós, quando clamamos a ti!

SALMO 19 (18)

A ordem que Deus quer

Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
O céu manifesta a glória de Deus, e o firmamento proclama a obra de suas mãos.
O dia passa a mensagem para outro dia, a noite a sussurra para a outra noite.
Sem fala e sem palavras, sem que a sua voz seja ouvida,
a toda a terra chega o seu eco, aos confins do mundo a sua linguagem.
Aí ele pôs uma tenda para o sol,
e este sai, qual esposo de seu quarto,
como herói alegre, percorrendo o seu caminho.
Ele sai de um extremo do céu,
e o seu percurso vai até o outro lado; nada escapa ao seu calor.
A lei de Javé é perfeita, um descanso para a alma.
O testemunho de Javé é firme, instrução para o ignorante.
Os preceitos de Javé são retos, alegria para o coração.
O mandamento de Javé é transparente, é luz para os olhos.
O temor de Javé é puro e estável para sempre.
As decisões de Javé são verdadeiras e justas igualmente.
São mais desejáveis do que ouro, mais do que ouro refinado.
São mais doces que o mel, que vai escorrendo dos favos.
Com elas, também teu servo se esclarece, e observá-las traz grande proveito.
Quem pode discernir os próprios erros? Purifica-me das faltas escondidas!
Preserva do orgulho o teu servo, para que ele nunca me domine: deste modo eu serei íntegro, inocente de uma grande transgressão.
Que te agradem as palavras da minha boca, e o meditar do meu coração chegue à tua presença, Javé, minha rocha e redentor!

SALMO 18 (17)

A função da autoridade

Do mestre de canto. De Davi, servo de Javé. Ele dirigiu a Javé as palavras deste cântico, quando Javé o libertou de todos os seus inimigos e da mão de Saul.
Ele disse: Eu te amo, Javé. Tu és a minha força!
Javé, meu rochedo, minha fortaleza, meu libertador; meu Deus, rocha minha, meu refúgio, meu escudo,
força que me salva, meu baluarte!
Louvado seja! Eu invoquei Javé, e fui salvo dos meus inimigos!
Ondas mortais me envolviam, torrentes destruidoras me aterravam,
cercavam-me laços mortais, as ciladas da morte me atingiam.
No meu aperto invoquei Javé, ao meu Deus lancei o meu grito.
Do seu templo ele ouviu a minha voz, o meu grito chegou-lhe aos ouvidos.
E a terra balançou e tremeu, as bases dos montes se abalaram, estremeceram com o furor dele.
De suas narinas subiu a fumaça e da sua boca um fogo voraz: dela saíam brasas ardentes.
Ele inclinou o céu e desceu, tendo aos pés uma nuvem escura;
ele cavalgou um querubim, e voou, planando sobre as asas do vento.
Das trevas fez seu manto, águas escuras e nuvens espessas o rodeavam como tenda.
Com o fulgor da sua presença, as nuvens se desfizeram em granizo e centelhas.
Javé trovejou no céu, o Altíssimo fez ouvir sua voz;
lançou suas flechas e os dispersou, e os expulsou, lançando seus raios.
O leito do mar apareceu, as bases do mundo se descobriram,
por causa do teu estrondo, Javé, e do vento que soprava das tuas narinas.
Do alto ele me mandou buscar; tirou-me das águas torrenciais.
Livrou-me de um poderoso inimigo, de adversários mais fortes do que eu.
Atacaram-me no dia da derrota, porém Javé foi um apoio para mim.
Ele me fez sair para lugar espaçoso; libertou-me, porque ele me ama.
Javé me tratou segundo a minha justiça, e me retribuiu conforme a pureza de minhas mãos,
porque observei os caminhos de Javé, e não me rebelei contra o meu Deus.
Seus julgamentos estão todos à minha frente, nunca me apartei dos seus decretos;
fui íntegro para com ele e me guardei da injustiça.
Javé retribuiu a minha justiça, a pureza de minhas mãos em sua presença.
Com o fiel és fiel, com o íntegro tu és íntegro,
com quem é puro tu és puro, mas com o perverso tu és astuto.
Tu salvas o povo pobre e rebaixas os olhos altivos.
Javé, tu és a minha lâmpada; meu Deus, tu iluminas a minha treva.
Sim, contigo eu corro ao ataque, com meu Deus eu assalto a muralha.
O caminho de Deus é perfeito, a palavra de Javé é comprovada.
Ele é um escudo para os que nele se abrigam.
Quem é Deus, além de Javé? E quem é rochedo, fora o nosso Deus?
Ele é o Deus que me cinge de força, e torna perfeito o meu caminho.
Ele iguala meus pés aos pés das corças e me sustenta firme nas alturas.
Adestra as minhas mãos para a guerra, e o meu braço estica o arco de bronze.
Tu me deste o teu escudo salvador, tua direita me sustentou, e me atendeste sem parar.
Alargaste os meus passos, e meus tornozelos não fraquejaram.
Persegui e alcancei os meus inimigos, e não voltei sem os ter consumido.
Eu os derrotei, e não puderam levantar-se; eles caíram debaixo dos meus pés.
Tu me cingiste com vigor para o combate e curvaste sob mim os agressores.
Tu me entregaste a nuca dos inimigos, e eu exterminei os meus adversários.
Eles gritaram, mas ninguém os socorreu. Gritaram para Javé, mas ele não respondeu.
Eu os reduzi como a poeira ao vento, eu os pisei como o barro das ruas.
Tu me livraste das contendas do meu povo, e me puseste como chefe de nações; um povo desconhecido tornou-se meu vassalo.
Os estrangeiros submetiam-se a mim, davam-me ouvidos e me obedeciam.
Os estrangeiros se enfraqueciam e saíam tremendo de suas fortalezas.
Viva Javé! Bendito seja o meu rochedo! Exaltado seja o meu Deus e salvador,
o Deus que me concedeu as vinganças e submeteu a mim os povos;
que me livrou de inimigos furiosos, me exaltou sobre os meus agressores, e me salvou do homem cruel.
Por isso eu te louvo entre as nações, Javé, e toco em honra do teu nome:
“Ele dá grandes vitórias ao seu rei, e age pelo seu ungido com amor, por Davi e sua descendência para sempre”.

SALMO 17 (16)

À espera de um milagre

Prece. De Davi.
Escuta, Javé, a minha apelação, atende ao meu clamor;
dá ouvidos à minha súplica, que não sai de lábios mentirosos.
Que minha sentença provenha de tua face, teus olhos vejam onde está a retidão.
Ainda que me sondes o coração, e de noite o examines;
ainda que me proves com o fogo, malícia nenhuma encontrarás em mim.
Minha boca não transgrediu
como costumam os homens.
Conforme a palavra dos teus lábios, eu observei os caminhos prescritos:
meus pés não vacilaram, meus passos ficaram nas tuas pegadas.
Eu clamo a ti, porque me respondes, ó Deus! Inclina-me teu ouvido, ouve a minha palavra,
manifesta a maravilha do teu amor, tu que dos agressores salvas a quem se refugia à tua direita.
Guarda-me como a pupila dos olhos, esconde-me à sombra de tuas asas,
longe dos injustos que me oprimem, dos inimigos mortais que me cercam.
Eles fecham seu coração com gordura e falam com boca arrogante;
seus passos já me rodeiam, seus olhos me fitam para jogar-me no chão.
Parecem leão ávido de presa, um filhote de leão agachado no covil.
Levanta-te, Javé! Enfrenta-os! Derruba-os! Que tua espada me liberte do injusto,
e tua mão, Javé, os expulse da humanidade, para fora da humanidade e do mundo: seja essa a parte deles nesta vida! Enche-lhes o ventre com o que tens de reserva:
que seus filhos fiquem saciados e deixem a sobra para seus pequeninos.
Quanto a mim, com justiça verei a tua face; ao despertar, eu me saciarei com a tua imagem.

SALMO 16 (15)

A herança da vida

À meia-voz. De Davi.
Guarda-me, Deus, pois eu me abrigo em ti.
Eu digo a Javé: “Tu és o meu bem!”
Os deuses e senhores da terra não me satisfazem.
Eles multiplicam as estátuas de deuses estranhos.
Nunca derramarei suas libações de sangue, nem porei seus nomes em meus lábios.
Javé, minha parte na herança e minha taça, meu destino está em tuas mãos.
O cordel mediu para mim um lugar delicioso; sim, minha herança é a mais bela.
Bendigo a Javé que me aconselha, e, mesmo à noite, interiormente me instrui.
Tenho Javé à minha frente sem cessar. Com ele à minha direita, jamais vacilarei.
Por isso meu coração se alegra, minhas entranhas exultam, e minha carne repousa em segurança;
porque não me abandonarás no túmulo, nem deixarás o teu fiel ver a sepultura.
Tu me ensinarás o caminho da vida, cheio de alegria em tua presença, e de delícias à tua direita, para sempre.A herança da vidaÀ meia-voz. De Davi.Guarda-me, Deus, pois eu me abrigo em ti.Eu digo a Javé: “Tu és o meu bem!”Os deuses e senhores da terra não me satisfazem.Eles multiplicam as estátuas de deuses estranhos.Nunca derramarei suas libações de sangue, nem porei seus nomes em meus lábios.Javé, minha parte na herança e minha taça, meu destino está em tuas mãos.O cordel mediu para mim um lugar delicioso; sim, minha herança é a mais bela.Bendigo a Javé que me aconselha, e, mesmo à noite, interiormente me instrui.Tenho Javé à minha frente sem cessar. Com ele à minha direita, jamais vacilarei.Por isso meu coração se alegra, minhas entranhas exultam, e minha carne repousa em segurança;porque não me abandonarás no túmulo, nem deixarás o teu fiel ver a sepultura.Tu me ensinarás o caminho da vida, cheio de alegria em tua presença, e de delícias à tua direita, para sempre.

ORTODOXIA DO DESPERTAR!

BIBLIA DE JERUSALÉM:

LEVITICO 26:11-13 -> “ESTABELECEREI MINHA HABITAÇÃO NO MEIO DE VÓS E NÃO VOS REJEITAREI JAMAIS. ESTAREI NO MEIO DE VÓS, SEREI VOSSO DEUS E VÓS SEREIS O MEU POVO. POIS SOU EU, IAHWEH VOSSO DEUS QUE VOS FEZSAIR DA TERRA DO EGITO PARA QUE NÃO FÔSSEIS MAIS SERVOS DELES; QUEBREI AS CANGAS DO VOSSO JUGO E VOS FIZ ANDAR DE CABEÇA ERGUIDA.”

SALMO 146:7-8 -> “IAHWEH LIBERTA OS PRISIONEIROS,
IAHWEH ABRE OS OLHOS DOS CEGOS,
IAHWEH ENDIREITA OS CURVADOS.”